PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Centro de Educação Permanente em Atenção à Saúde – Cursos Ofertados

24 de outubro de 2008 - 20:02

1. ESPECIALIZAÇÃO EM FARMÁCIA HOSPITALAR

1.1 Apresentação: O SUS tem apontado para a necessidade de formação de gestores hospitalares voltados para uma melhor atuação desses profissionais e na busca da qualificação da assistência farmacêutica hospitalar oferecida à população.

Diante desses desafios, propõe-se um curso de especialização para farmacêuticos dirigentes de farmácias hospitalares e suas equipes, cujo programa de estudo esteja comprometido com os princípios da gestão democrática e com o cuidado integral ao paciente. Discutir e conhecer as questões relacionadas à transformação da natureza jurídica e o modelo organizacional dos hospitais por meio de fundações de caráter público.

A presente proposta justifica-se pela necessidade identificada pelo Sistema Único de Saúde, no aprimoramento de competências profissionais relacionadas à execução de ações na área da Farmácia Hospitalar. Portanto, o curso está direcionado as necessidades do serviço, favorecendo o desenvolvimento da capacidade técnica, de investigação e aprendizagem autônomas, promovendo o trabalho em equipe e a troca de experiências vivenciadas pelos participantes na sua prática profissional.

Pelo exposto, identifica-se a necessidade de promover a capacitação do profissional farmacêutico, dotando-o de conhecimentos técnicos, administrativo e clínico, habilidades e atitudes, para aplicabilidade no âmbito do SUS.

1.2 Público-alvo: Farmacêuticos que atuam em Farmácia Hospitalar.

 

1.3 Objetivo: Atualizar os farmacêuticos nos novos domínios de ferramentas de investigação científica, reciclagem e especialização em temas de relevância para sua prática profissional. Capacitá-los também para a prática da Assistência Farmacêutica Hospitalar, integrando-os ao atendimento farmacêutico, acompanhamento farmacoterapêutico e ações relativas à promoção e recuperação da saúde.

1.3 Metodologia: O Curso de Especialização em Farmácia Hospitalar é realizado em caráter modular com duração prevista de doze meses e carga-horária total de 460 horas, assim distribuídos: 360 horas de atividades presenciais, organizadas através de uma estrutura modular mensal, correspondente a períodos de concentração de 30 horas de duração, sendo que 80 horas serão dedicadas ao estágio em serviço nas Unidades Hospitalares de Referência da Rede SUS/CE e 100 horas para elaboração de trabalho científico (monografia ou artigo) que deverá ser defendida dentro do prazo de seis meses, contados a partir do término da última Unidade Modular. Na elaboração da monografia os participantes receberão orientações específicas para a elaboração desse trabalho exigido para a conclusão do curso e obtenção do título de Especialista em Farmácia Hospitalar.

O conteúdo dos módulos será repassado através de exposições interativas, estudo dirigido, sessão educativa – filmes, rodas de debate com especialistas, estudos de caso, pesquisa bibliográfica, oficinas de trabalho e desenvolvimento de habilidades interpessoais.

1.4 Conteúdo:

Teórico: Políticas de Saúde no Brasil, Legislação Sanitária de Medicamentos, Organização e Estruturação do Serviço de Farmácia Hospitalar, Planejamento, Gerenciamento da Farmácia Hospitalar e a Garantia da Qualidade, Epidemiologia, Farmacoepidemiologia e Farmacovigilância, Segurança do Paciente: Uso Racional de Medicamentos, Erros de Medicação, e o Controle das Infecções Hospitalares. Farmacotécnica Hospitalar, Farmácia Clínica e a Atenção Farmacêutica, Avaliação e Incorporação de Tecnologias em Saúde e a Farmacoeconomia, Seminário de Bioética e de Pré-qualificação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs).

Prático: Estágio supervisionado nos diversos serviços de farmácia hospitalar da rede pública.

1.5 Carga-horária: 460 horas

 

2. ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

2.1 Apresentação: A Especialização em Gestão de Assistência Farmacêutica destina-se à qualificação dos profissionais que desempenham funções técnicas ou gerenciais na Assistência Farmacêutica em nível municipal ou regional, com base na compreensão das políticas de saúde e dentro destas, da política de medicamentos e de assistência farmacêutica.  No contexto dessas políticas são tratados temas sobre a inserção do farmacêutico na atenção primária à saúde, com enfoque na Promoção à Saúde e prevenção das enfermidades.

O curso encontra-se na sua oitava edição, e apresenta um desenho curricular sedimentado pela experiência acumulada nas edições anteriores e pelo resultado das avaliações realizadas ao final de cada uma delas.

2.2 Público-alvo: Farmacêuticos que atuam em serviços municipais e estaduais de Assistência Farmacêutica.

2.3 Objetivo: O curso está estruturado de forma a estimular os participantes a uma discussão acerca do enfoque gerencial da Assistência Farmacêutica, englobando conhecimentos, habilidades e atitudes quanto à gestão, componentes técnico-científicos e clínicos relacionados ao uso racional de medicamentos e a garantia do acesso aos medicamentos essenciais.

 

2.4 Metodologia: Adota um método centrado no estudante, que é responsável pela identificação de seus objetivos de aprendizagem e pela condução do estudo necessário para alcançá-los. Utiliza as seguintes estratégias de aprendizagem: exposição interativa, estudo individual, mesa redonda, estudo dirigido, oficinas de trabalho, pesquisa bibliográfica e consulta a especialistas.

2.5 Conteúdo:Políticas de Saúde; Promoção da Saúde; Sistemas de Informação e Vigilância à Saúde; Ciclo Logístico da Assistência Farmacêutica; Planejamento em Assistência Farmacêutica; Organização e Avaliação da Assistência Farmacêutica; Introdução à Farmacoepidemiologia; Segurança do Paciente e Introdução à Farmacovigilância; Ética Profissional; Inovação e Avaliação Tecnológica em Saúde; Atenção Farmacêutica nos Serviços de Saúde; Gestão de Serviços em Fitoterapia; Desenvolvimento de Habilidades Interpessoais e Metodologia de Investigação Científica.

2.6 Carga-horária: 460 horas

 

3. ESPECIALIZAÇÃO EM PRÁTICAS CLÍNICAS EM SAÚDE DA FAMÍLIA

3.1 Apresentação: O Curso de Especialização em Práticas Clínicas em Saúde da Família é destinado aos profissionais das Equipes de Saúde da Família. Esse curso tem como objetivo contribuir para uma performance profissional de excelência em atenção primária, por meio da construção de estruturas cognitivas fundamentais que permitam aos profissionais aprender permanentemente e expandir suas bases de conhecimentos, habilidades e atitudes de forma auto-dirigida.

O curso busca desenvolver um conjunto de competências essenciais para a prática profissional de médicos (as), enfermeiros (as) e dentistas nos municípios em que trabalham.

Esse programa educacional traz algumas inovações importantes destacadas a seguir: a) ênfase especial na comunicação profissional-paciente, na perspectiva de desenvolvimento de uma relação terapêutica com impactos positivos na saúde do paciente e na satisfação do profissional; b) o uso de abordagens educacionais experienciais, indutoras de reflexão, com grande potencial de gerar mudanças comportamentais e aperfeiçoamento da prática profissional.

O eixo central do curso será o ‘Método Clínico Centrado no Paciente’, uma perspectiva profundamente transformadora dos cuidados assistenciais, capaz de produzir desfechos favoráveis na saúde de pacientes e no bem-estar de suas famílias. Partindo do encontro entre o profissional e o paciente, desenvolveremos uma série de atividades educacionais que abrangem não apenas a aprendizagem de informações factuais, mas todo um conjunto de atitudes e habilidades de suma importância para uma prática de excelência em Atenção Básica.

Organizado de forma modular e articulando atividades presenciais na Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) e descentralizadas nos municípios, o curso tem como proposta desenvolver um programa educacional centrado no participante e com uma estrutura curricular flexível, capaz de se adaptar às necessidades percebidas durante seu desenvolvimento.

3.2 Público-alvo: Médicos (as), enfermeiros (as) e dentistas da Estratégia Saúde da Família

3.3 Objetivo: Capacitar profissionais da Estratégia Saúde da Família, visando a contribuir para uma performance profissional de excelência em atenção primária, por meio da construção de estruturas cognitivas fundamentais, que permitam aos profissionais aprender permanentemente e expandir suas bases de conhecimentos, habilidades e atitudes de forma autodirigida.

3.4 Metodologia: O processo de formação será integrado, articulado e em estreita relação com a realidade locorregional, por meio da utilização de uma abordagem educacional mais participativa e colaborativa, valorizando a integração ensino-serviço.

Os módulos são desenvolvidos articulando atividades na Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) e atividades, individuais e em grupo, nos municípios. A carga-horária dos módulos varia de 44 a 56 horas, totalizando 500 horas de curso. Nos encontros presenciais na ESP-CE, o aprendizado será construído a partir de atividades individuais e em pequenos grupos, utilizando-se a técnica do role-play, possibilitando-se a reflexão e a análise de situações-problema. Serão realizadas exposições dialogadas de forma complementar para auxiliar a sistematização das informações.

Todos os módulos serão orientados por manuais, incluindo programa e roteiro de atividades individuais e em grupo a serem desenvolvidas na ESP-CE e nos municípios.

3.5 Conteúdo: Método Clínico Centrado no Paciente; Consulta Centrada no Paciente e as Habilidades de Comunicação; Comunicação na Relação Profissional de Saúde Paciente; Aprendizagem a partir da Experiência: Profissional Reflexivo e Autorreflexivo; Saúde da Família; Saúde da Criança e do Adolescente, Saúde da Mulher, Saúde do Adulto e Idoso.

3.6 Carga-horária: 500 horas

 

4. ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM OBSTÉTRICA

 

4.1 Apresentação: No Ceará existem 31 Hospitais/Maternidades Pólo que são referência em obstetrícia e neonatologia apresentando uma grande carência de Enfermeiros (as) Obstetras especializados nas salas de parto.

Por esta razão Escola de Saúde Pública do Ceará – ESP-CE realiza o Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica visando a capacitar enfermeiros (as) para desenvolverem ações que possam reduzir significativamente a mortalidade materna e neonatal no estado em consonância com as exigências do Ministério da Saúde.

4.2 Público-alvo: Profissionais de enfermagem que atuam nos hospitais/maternidades pólo referência em obstetrícia e neonatal do estado do Ceará.

4.3 Objetivo: Capacitar profissionais de enfermagem para desenvolverem ações que reduzam significativamente a mortalidade materna e neonatal no Ceará.

4.4 Metodologia: O curso é modular, articulando atividades teóricas em momentos presenciais na ESP-CE, a cada três semanas, e teórico-práticas nos serviços de referência obstétrica com o apoio de um preceptor de campo.

As atividades presenciais na ESP-CE são com carga horária de 20 horas/aulas. As atividades teórico-práticas correspondem a 20 horas/aulas, sendo 12 horas correspondentes ao estágio supervisionado e 8 horas/aulas destinadas à discussão de casos clínicos com o preceptor de campo (supervisor de estágio), conforme o módulo, o que totaliza 40 horas/aulas de atividades por módulo.

São utilizadas técnicas de ensino-aprendizagem que favoreçam o desenvolvimento de habilidades, atitudes e conhecimentos, com o intuito de proporcionar a formação da competência profissional, que contribua para a melhoria da assistência à mulher e à criança no SUS.

O Curso está estruturado em 13 módulos, com carga horária total de 652 horas/aulas, distribuída da seguinte forma: atividades teóricas presenciais (300 horas/aulas), Estágio Supervisionado (132 horas), atividades teórico-práticas (120 horas) e Trabalho de Conclusão de Curso (100 horas).

4.5 Conteúdo: Seminário Aberto – Políticas de Saúde Reprodutiva; Aspectos Gerenciais, Legais e Éticos do Exercício Profissional da Enfermagem Obstétrica; Método Clínico Centrado no Paciente; Processo de cuidar em Enfermagem à Mulher na Fase Reprodutiva; Processo de Cuidar em enfermagem à Mulher no Pré-natal de Baixo Risco; Anatomofisiologia do Parto; Processo de Cuidar em Enfermagem à Mulher no Parto e Pós-parto; Processo de Cuidar em Enfermagem à Mulher nas Urgências e Emergências Obstétricas; Processo de Cuidar em Enfermagem ao Neonato em Sala de Parto; Processo de Cuidar em Enfermagem nas Intercorrências da Gestação; Processo de Cuidar em Enfermagem à Mulher no Parto de Alto; Processo de Cuidar em Enfermagem ao Binômio Mãe-filho no Puerpério; Metodologia da Pesquisa Científica.

 

4.6 Carga-horária: 652 horas

 

5. INTRODUTÓRIO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

5.1 Apresentação: O Curso Introdutório em Saúde da Família destinado aos profissionais que estão iniciando suas atividades nas equipes de Saúde da Família tem sido realizado desde a implantação das primeiras equipes de Saúde da Família. O curso objetiva fornecer informações básicas que subsidiem a atuação destes profissionais, incorporando um novo olhar para a atenção à saúde, seguindo as orientações da Portaria 648/GM de 28/03/2006 que estabelece: “o processo de capacitação deve iniciar-se concomitante ao trabalho das equipes por meio do Curso Introdutório para toda a equipe”. Seu conteúdo programático contempla as diretrizes da PT nº 2527/GM de 19/10/2006.

5.2 Público-alvo: Dentistas, enfermeiros, médicos e demais profissionais que atuam nas Unidades Básicas de Saúde da Família.

5.3 Objetivos:

•    Desenvolver conhecimentos, habilidades e competências para qualificar a atuação dos profissionais de saúde na Estratégia Saúde da Família.
•    Compreender a evolução das políticas de saúde, com ênfase na Estratégia de Saúde da Família.
•    Analisar o processo saúde-doença na Família e na Comunidade e discutir estratégias de intervenção.
•    Compreender o processo de planejamento na área de abrangência da equipe de Saúde da Família
•    Analisar e discutir o processo de organização e gerenciamento dos serviços ofertados pelas equipes de saúde da família
•    Adquirir habilidades e atitudes necessárias para o desenvolvimento de trabalho em equipe.

5.4 Metodologia: Baseia-se na construção e elaboração de conhecimentos, de acordo com a realidade do participante, utilizando métodos que facilitam o processo dialógico entre o facilitador e participante: Trabalhos em grupos; Exposições Dialogadas; Análise e Estudo de Situações Problema; Estudos Dirigidos e Exibição e Debate de Vídeos.

5.4 Conteúdo: Políticas Públicas e a Estratégia Saúde da Família; Processo Saúde Doença na Família e na Comunidade; Planejamento dos Serviços na Unidade Básica de Saúde; Organização e Gerenciamento das Equipes de Saúde da Família.

5.5 Carga-horária: 40 horas

6. ATUALIZAÇÃO NA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

6.1 Apresentação: A escassez e dispersão de recursos financeiros, a pouca sensibilização profissional, falta de um trabalho sistemático de avaliação e monitoramento, a fragilidade das políticas públicas voltadas para a atenção da saúde do (da) adolescente são alguns dos problemas comuns que dificultam a melhoria dos serviços de saúde na área da criança e do (da) adolescente. Considerando a necessidade de ampliar e melhorar a cobertura desses serviços de saúde, acredita-se que muitos problemas possam ser minimizados com a sensibilização dos profissionais das Equipes de Saúde na Atenção Básica, contribuindo com a melhoria dos indicadores de saúde para esses segmentos da população. Visando a contribuir com a mudança desta situação, a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) promove o Curso de Atualização na Atenção à Saúde da Criança e Adolescente., considerando que os objetivos da sensibilização e aprendizagem permitirão aos profissionais adquirirem conhecimentos teórico-práticos que favoreçam mudanças de atitudes e de procedimentos diante do atendimento à criança e ao adolescente no dia a dia do seu trabalho.

6.2 Objetivos: Sensibilizar os profissionais das Unidades Básicas de Saúde da Família nas ações de atenção a saúde da criança e do adolescente, com o intuito de:
•    Capacitar os profissionais da atenção básica no manejo das principais doenças na infância.
•    Capacitar profissionais da atenção básica na abordagem e acolhimento ao (a) adolescente e sua importância na assistência, promoção e prevenção na área da saúde.
•    Contribuir para o fortalecimento de atividades interdisciplinares voltadas para atenção integral a saúde da criança e do (da) adolescente.

6.3 Metodologia: O curso utilizará a metodologia de autoaprendizagem, estudos de casos direcionando para a solução de problemas, voltado para a prática diária, centrado no participante, capaz de promover o trabalho coletivo e favorecer o espírito de equipe e a troca de experiências. A turma será dividida em grupos para leitura de textos, discussões e propostas. Serão desenvolvidos debates em grupos durante a vivência e prática na própria unidade de saúde de cada município e apresentada na forma de avaliação, quanto ao processo de aprendizagem.

6.4 Contéudo: Acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento infantil; Imunização no Serviço na Atenção Básica á Saúde; Aspectos Nutricionais; Avaliação e Condutas na Criança Desnutrida; Identificação de Sinais Gerais de Perigo; Organização dos Serviços de Puericultura nas Unidades Básicas; Atenção à Gestante e Bebê até um Mês de Vida; Identificação dos Recém-nascidos e Infecções Bacterianas; Abordagem e Vivenciabilidade do Adolescente; Problemas Clínicos; Crescimento e Desenvolvimento – Maturação Sexual; Sexualidade e Gravidez na Adolescência; Atenção Básica (AB): Fisioterapia; Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional.

6.5 Carga-horária: O curso terá uma carga-horária de 90 horas distribuídas em três etapas:
1ª ETAPA: Presencial em período interino de 40 horas semanais na ESP-CE.
2ª ETAPA: Período de uma semana para elaboração do plano de trabalho da unidade (40 horas).
3ª ETAPA: Apresentação dos trabalhos para avaliação (10 horas).

7. ATENÇÃO INTEGRADA ÀS DOENÇAS PREVALENTES NA INFÂNCIA – AIDPI

7.1 Apresentação: A Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância – AIDPI é considerada atualmente a principal intervenção disponível para melhorar as condições de saúde da infância nos países em desenvolvimento. Além de representar um instrumento útil para a detecção precoce e o efetivo tratamento das principais doenças que afetam a saúde da criança, contribui para melhorar os conhecimentos e as práticas das famílias para a prevenção e promoção da saúde. Assim, a sua aplicação nos serviços de saúde e na comunidade pode ter significativo impacto em termos de redução do número de óbitos, na redução do número e gravidade das doenças que afetam esse grupo de idade, condições nutricionais e do desenvolvimento físico e neurológico.

7.2 Público-alvo: Profissionais graduados em medicina e enfermagem que atuam na atenção básica.

7.3 Objetivos:

•   Capacitar os profissionais para identificarem as gestantes de riscos;
• Capacitar os profissionais para o atendimento dos recém-nascidos na sala de parto e no seu acompanhamento até dois meses idade;
•   Capacitar os profissionais para captação precoce de crianças com sinais de gravidade;
•   Capacitar os profissionais para organização e operacionalização da puericultura na Unidade Básica de Saúde;
•   Capacitar os profissionais no manejo das doenças mais prevalentes (infecção respiratória aguda, asma, doenças diarréicas, doença febril e desnutrição), na faixa etária de zero a cinco anos.

7.4 Metodologia: Aulas expositivas, leitura e discussão do conteúdo teórico do manual do curso, exercícios de casos clínicos, apresentação de vídeos com demonstração de atendimento e estudo de casos, além de atividades práticas em Unidades de Saúde.

7.5 Conteúdo:

• Aspectos relacionados à atenção à gestante, ao bebê menor de dois meses e às crianças de dois meses a cinco anos;
• Atualização sobre Puericultura – crescimento, alimentação, desenvolvimento, estimulação, imunização, higiene e prevenção de acidentes;
• Atualização e proposição de protocolos de atenção à criança com doenças respiratórias (pneumonia, otite, faringotonsilite, sinusite e bronquiolite), doença febril, doença diarréica e desidratação, doenças que interferem no desenvolvimento, e aconselhamento às mães ou acompanhantes.

7.6 Carga-horária: 45 horas

8. APERFEIÇOAMENTO NAS ÁREAS ESTRATÉGICAS DA ATENÇÃO BÁSICA

8.1 Apresentação: Visando à operacionalização da Atenção Básica, a Política Nacional de Atenção Básica (Portaria GM/MS 648, de 28 de março de 2006) ratificou e ampliou as seguintes áreas estratégicas como prioritárias para atuação dos profissionais de Saúde da Família em todo o território nacional: eliminação da hanseníase, controle da tuberculose, controle da hipertensão arterial, controle do diabetes mellitus, eliminação da desnutrição infantil, saúde da criança, saúde da mulher, saúde do idoso, saúde bucal e promoção da saúde.
Diante das lacunas de capacitação dos profissionais da Atenção Básica, a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) realiza o Curso de Aperfeiçoamento nas Áreas Estratégicas da Atenção Básica.

8.2 Público-alvo: Médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas que estão atuando nas Equipes de Saúde da Família.

8.3 Objetivos: Aperfeiçoar as competências dos profissionais das Equipes de Saúde da Família, no que se refere às áreas estratégicas da Atenção Básica, tendo em vista a melhoria dos indicadores de saúde.
•    Capacidade de realização de ações que contribuam para a eliminação da Hanseníase.
•    Capacidade de realização de ações que visem o controle da Tuberculose.
•    Desenvolvimento de ações que contribuam para o controle da Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus.
•   Capacidade de realização de ações voltadas para promoção da Saúde da Criança, com ênfase na eliminação da desnutrição infantil.
•    Capacidade de realização de ações voltadas para promoção da Saúde da Mulher.
•    Capacidade de realização de ações voltadas para promoção da Saúde do Idoso.
•    Capacidade de realização de ações voltadas para promoção da Saúde Bucal.
•    Desenvolvimento de ações voltadas para a Promoção da Saúde.

8.4 Metodologia: Processo de formação integrado, articulado e em estreita relação com a realidade locorregional, por meio de uma abordagem educacional mais participativa e colaborativa, valorizando a integração ensino-serviço.

8.5 Conteúdo: Aprendizagem a partir da Experiência: Profissional Reflexivo, Estratégico e Autorreflexivo; Método Clínico Centrado no Paciente; Reflexão sobre a Prática Profissional nas Áreas de Saúde da Criança, Saúde da Mulher, Saúde do Adulto e Idoso e Saúde Bucal.

8.6 Carga-horária: 12 horas
 
9. CONDUTAS DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA EM ENFERMAGEM

9.1 Apresentação: A Urgência e Emergência, no contexto de ser um dos mais significativos desafios da Saúde Pública no Brasil, têm demandado importantes iniciativas por parte das três esferas de governo, visando à organização dessa atenção, baseada nos princípios da universalidade, equidade, qualidade, eficácia e humanização. Dentro deste contexto é de fundamental importância a qualificação de profissionais médicos e enfermeiros que atuam nas equipes do Programa Saúde da Família do Pólo Fortaleza e dos Hospitais Regionais.
Buscando fortalecer e aperfeiçoar o serviço de atendimento em traumas e outros agravos nas Unidades Básicas de Saúde e Hospitais de Referência, a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) promove o Curso de Condutas de Urgência e Emergência para profissionais da Área de Enfermagem.

9.2 Objetivos: Capacitar profissionais (enfermeiros e enfermeiras) das Equipes de Saúde da Família e de Hospitais Regionais em Condutas de Urgência e Emergência, com o intuito de:
•   Preparar enfermeiros (as) para atuarem com segurança e competência nas situações de urgência e emergência nas unidades de saúde;
•    Capacitar e enfermeiros (as) para as manobras básicas e avançadas de reanimação;
•    Sensibilizar enfermeiros (as) para atuarem como multiplicadores em serviço de urgência e emergência.

9.3 Metodologia: O conteúdo do curso é desenvolvido de maneira dinâmica, baseado na metodologia pedagógica do ATLS (Suporte de Vida no Trauma), ACLS (Suporte Avançado de Vida em Cardiologia) e PHTLS (Atendimento Pré- Hospitalar ao Traumatizado) na área de emergência com enfoque nos procedimentos de enfermagem.
Serão utilizados como apoio recursos audiovisuais: projetor de slides e data show, manequins para simulação de situações de urgência e emergência com o intuito de estimular os participantes, bem como melhorar o aprendizado nos procedimentos de enfermagem.

9.4 Conteúdo:
•  Teórico: Cinemática do Trauma (atendimento de enfermagem na sala de emergência, vias aéreas, trauma abdominal e trauma torácico); Reanimação Cardiorrespiratória Cerebral (Suporte Básico da Vida e Suporte Avançado da Vida); Traumatismo Crânioencefálico; Traumatismo Raquimedular; Trauma de Extremidades; Trauma Pediátrico; Emergências Clínicas: IAM, Angina, AVC, EAP, Convulsão, Diabetes; Choque; Queimaduras; Imobilização e Transporte; Intoxicação Exógena; Acidentes com Animais Peçonhentos; Emergências Obstétricas.
•   Prático: Abordagem das Vias Aéreas no Adulto; Manobras de Reanimação no Suporte Básico de Vida e Suporte Avançado de Vida; Abordagem no Estado do Choque; Manuseio de Materiais; Manuseio de Equipamentos (Monitorização e Desfibrilação); Imobilização e Transporte.

9.5 Carga-horária: 40 horas


10. APERFEIÇOAMENTO EM SAÚDE DA FAMÍLIA PARA PROFISSIONAIS DOS NASFS

10.1 Apresentação: A Portaria n° 648/GM, de 28 de março de 2006, aprovou a Política Nacional de Atenção Básica e estabeleceu a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para a Estratégia Saúde da Família (ESF). Considerando o fortalecimento da ESF, a melhoria da qualidade e resolutividade da atenção básica em 24 de janeiro de 2008, foi publicada a Portaria N° 154 que cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFS). Os NASFS têm como objetivo ampliar a abrangência e o escopo das ações de atenção básica, complementando o trabalho das Equipes de Saúde da Família.
O Curso de Aperfeiçoamento em Saúde da Família para Profissionais dos Núcleos de Apoio è Saúde da Família visa desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para qualificar a atuação destes profissionais na Estratégia Saúde da Família.

10.2 Público-alvo: Fisioterapeutas, Nutricionistas, Farmacêuticos, Professores de Educação Física, Fonoaudiólogos, Psicólogos, Terapeutas Ocupacionais, Médicos e Enfermeiros que fazem parte dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família nos municípios do Estado do Ceará.

10.3 Objetivos:
•    Compreender o processo evolutivo das Políticas de Saúde no Brasil, Política Nacional de Promoção da Saúde, Política Nacional de Atenção Básica e Política de Práticas Integrativas e Complementares;
•    Identificar conceitos e atributos da Atenção Primária em Saúde;
•    Analisar o processo saúde-doença na Família e na Comunidade e discutir estratégias de intervenção;
•    Aplicar aspectos teórico-práticos de Educação em Saúde para a promoção da saúde e prevenção de doenças no âmbito individual e coletivo;
•    Desenvolver habilidades para realizar o reconhecimento do território de abrangência da equipe de Saúde da Família;
•    Compreender o processo de planejamento na área de abrangência da equipe de Saúde da Família;
•    Adquirir habilidades e atitudes necessárias para o desenvolvimento do trabalho em equipe;
•    Discutir as responsabilidades dos profissionais que compõe os NASFS e as atribuições de cada categoria profissional;
•    Desenvolver as competências necessárias para realizar as atividades específicas de cada categoria profissional.

10.4 Metodologia: Baseia-se na construção e elaboração de conhecimentos de acordo com a realidade do participante, utilizando métodos que facilitam o processo dialógico entre o facilitador e participante: Trabalhos em Grupos, Exposições Dialogadas, Análise e Estudo de Situações Problema, Estudos Dirigidos e Exibição e Debate de Vídeos.

10.5 Conteúdo: Políticas Públicas de Saúde e a Estratégia Saúde da Família; Processo Saúde Doença na Família e na Comunidade; Educação em Saúde; Saúde no Território; Planejamento dos Serviços na Unidade Básica de Saúde; Trabalho em Equipe.

10.6 Carga-horária: 180 horas

11. CAPACITAÇÃO EM ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA PARA OS NASFS

11.1 Apresentação: A Portaria n° 648/GM, de 28 de março de 2006, aprovou a Política Nacional de Atenção Básica e estabeleceu a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para a Estratégia Saúde da Família (ESF), considerando o fortalecimento da ESF, a melhoria da qualidade e resolutividade da atenção básica em 24 de janeiro de 2008, foi publicada a Portaria N° 154 que cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFS). Os NASFS têm como objetivo ampliar a abrangência e o escopo das ações de atenção básica, complementando o trabalho das equipes de Saúde da Família.
O Curso de Capacitação em Assistência Farmacêutica para os Núcleos de Apoio è Saúde da Família visa desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias para as atividades de assistência farmacêutica nos NASFS.

11.2 Público-alvo: Farmacêuticos que fazem parte dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família nos municípios do Estado do Ceará.

11.3 Objetivos:

•    Compreender o processo evolutivo das Políticas de Saúde no Brasil, Política Nacional de Promoção da Saúde, Política Nacional de Atenção Básica, conceitos e atributos da Atenção Primária em Saúde, Política Nacional de Medicamentos e Assistência Farmacêutica e Política de Práticas Integrativas e Complementares (plantas medicinais e fitoterapia);
•    Identificar estratégias e ferramentas para promoção do uso racional de medicamentos;
•    Aplicar estudos de utilização de medicamentos;
•    Aplicar conhecimentos clínicos e farmacológicos no âmbito individual e coletivo;
•    Aplicar aspectos teórico-práticos da Educação em Saúde para promoção da saúde e prevenção de doenças no âmbito individual e coletivo;
•    Desenvolver atividades de fitoterapia junto à comunidade.

11.4 Metodologia: Adota uma metodologia de aprendizagem centrada no estudante que é o responsável pela identificação de seus objetivos de aprendizagem e pela condução, subseqüentemente, do estudo necessário para alcançá-los, utilizando os seguintes métodos: Exposição interativa, Estudo Individual, Mesa-redonda, Estudo Dirigido, Oficina de Trabalho, Pesquisa Bibliográfica e Consulta aos Especialistas.

11.5 Conteúdo: Políticas Públicas e a Estratégia Saúde da Família; Uso Racional de Medicamentos; Estudos de Utilização de Medicamentos; Farmacologia; Fitoterapia; Educação em Saúde; Saúde no Território; Trabalho em Equipe.

11.6 Carga-horária: 80 horas

12. CAPACITAÇÃO EM LER/DORT, PAIR E DERMATOSE OCUPACIONAL PARA PROFISSIONAIS DO SUS

12.1 Apresentação: As LER (Lesões por Esforços Repetitivos)/ DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), a PAIR (Perda Auditiva Induzida por Ruído) e a Dermatose Ocupacional são a segunda causa de afastamento do trabalho no Brasil, segundo dados do INSS. As LER/DORT atingem o trabalhador no auge de sua produtividade e experiência profissional, sendo que a maior incidência ocorre na faixa etária de 30 a 40 anos. As categorias profissionais que encabeçam as estatísticas são bancários, digitadores, operadores de linha de montagem, operadores de telemarketing, entre outros.
A Escola de Saúde Pública do Ceará em parceria com o CEREST – Centro de Referencia em Saúde do Trabalhador realiza o Curso de Capacitação para os profissionais do SUS que atuam na Rede Sentinela de atenção à Saúde do Trabalhador no Estado do Ceará.  

12.2 Público-alvo: Profissionais médicos (as) e enfermeiros (as) que atuam na Atenção Básica, Média e Alta complexidade do SUS que atuam nos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador no Estado do Ceará.  

12.3 Objetivos: Capacitar os profissionais para realizar diagnóstico, tratamento e orientação aos trabalhadores acometidos por LER/DORT, PAIR E DERMATOSE OCUPACIONAL.
Compreender os processos de trabalho, ações de prevenção e aspectos legais na questão das LER/DORT, PAIR E DERMATOSE OCUPACIONAL.
Compreender a Política de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador.

12.4 Metodologia: O curso articula atividades presenciais que serão complementadas por trabalho de campo. Na sessão presencial, deverão ser utilizadas exposições dialogadas, vídeos e atividades grupais, no intuito de proporcionar oportunidades de aprendizagem experiencial das habilidades a serem desenvolvidas.

12.5 Carga-horária: 80 horas