PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Centro de Extensão em Saúde – Cursos Ofertados

24 de outubro de 2008 - 20:56


1. CUIDADOR DE PESSOAS IDOSAS COM DEPENDÊNCIA

1.2 Apresentação: O envelhecimento populacional, um dos maiores desafios da saúde pública contemporânea, reflete em maior expressão de doenças crônicas e múltiplas, próprias do envelhecimento, evidenciando o fenômeno conhecido como transição epidemiológica.  Em decorrência, faz-se mister a organização dos serviços de saúde as demandas especificas da população idosa que, muito freqüentemente, exige cuidado permanente, acompanhamento constante, medicação contínua e exames periódicos. O atendimento às peculiaridades da população idosa envolve desde a adequação ambiental, o provimento de recursos materiais, a definição e implantação de ações de saúde específicas e inclui, necessariamente, a capacitação de pessoas para prestar cuidados de atenção e assistência a esta população. É necessário e premente o estabelecimento de ações educativas e de formação de profissionais para o atendimento integral à população idosa, objetivando diminuir as situações de risco e proporcionar qualidade de vida. Com vistas a colaborar na implementação da Política Estadual de Atenção ao Idoso e contribuir para a capacitação de pessoas para exercerem funções supervisionadas de cuidadores de idosos em domicílios, instituições de longa permanência, centros de referencia, entre outros, a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (SESA), oferece a Qualificação do Cuidador de Pessoas Idosas com Dependência, seguindo o perfil de competências profissionais, proposto pelo Ministério da Saúde.

1.3 Público-alvo: Trabalhadores que atuem ou que desejem atuar como cuidadores de idosos, preferencialmente indicados pelas Secretarias de Saúde, Secretarias do Trabalho e Desenvolvimento Social, Pastoral do Idoso, Centros de Referência, Associações que trabalham com idosos, Conselhos de Direitos de Idosos entre outras organizações integrantes da Rede Nacional de Atenção aos Direitos do Idoso (RENADI).

1.4 Objetivos: Qualificar trabalhadores para a ocupação de “Cuidadores de Pessoas Idosas com Dependência”, no atendimento as necessidades do idoso com uma visão ampliada sobre saúde e do processo de envelhecimento saudável, observando o compromisso social e a ética profissional no desempenho de suas funções, a fim de contribuir com a melhoria da qualidade de vida da população cearense.

1.5 Conteúdo: O curso é estruturado em dois módulos em um conjunto integrado e articulado de situações-meios, pedagogicamente concebidas e organizadas, para promover aprendizagens significativas.
Módulo Transversal: Políticas de Saúde; Relações Interpessoais; Ética em Saúde; Direitos e Deveres do Cuidador.
Módulo Específico: Envelhecimento Humano; Impactos Sociais e Psicossociais na Velhice; Saúde do Idoso; Higiene e Conforto; Necessidades Nutricionais; Urgências e Emergências; Administração de Medicamentos; Papel do Cuidador no Manejo das Principais Patologias Geriátricas; Promoção da Saúde do Cuidador.

1.6 Metodologia: Considerando as peculiaridades do ensino na área da saúde, será utilizada a metodologia da problematização, a qual pressupõe uma aprendizagem significativa que permite uma aproximação gradativa dos saberes e práticas. A metodologia utilizada envolve técnicas dinâmicas e indissociáveis dos conteúdos, proporcionando a interação teoria-prática, priorizando-se a problematização, o que torna a aprendizagem mais significativa.

1.7 Carga-horária: 160 horas, distribuídas ao longo de 5 meses, com aulas 3 vezes na semana com duração de 3h/a, no período a ser definido conforme a demanda local.

2. CAPACITAÇÃO PARA CUIDADORES DE IDOSOS

2.2 Apresentação: Capacitação de Cuidadores de Idosos é uma resposta da ESP-CE e do Governo do Ceará à premente necessidade da formação de trabalhadores aptos a atender as especificidades da população idosa, de forma a oferecer cuidados especializados. O curso intenciona colaborar para a implementação da Política Estadual de Atenção ao Idoso e a contribuir para a capacitação de pessoas para exercerem funções de Cuidador de Idosos.

2.3 Público-alvo: Trabalhadores que desejam atuar como Cuidador de Idosos indicadas pelas Secretarias de Saúde e demais secretarias, Pastoral do Idoso, associações que trabalham com idosos, Instituições de Longa Permanência e Conselho de Idosos dos municípios e outras organizações da Rede de Atenção ao Idoso.

2.4 Objetivos: Capacitar trabalhadores aptos a exercerem a ocupação de Cuidador de Idosos, sistematizando saberes e fazeres do cuidar, qualificando-os para o exercício de suas funções. Proporcionar formação de qualidade para o cuidado dispensado, com respeito às particularidades e singularidades da pessoa idosa cuidada. Produzir conhecimento e elaborar metodologias e materiais que contribuam para um maior entendimento do papel social do Cuidador de Idosos e do papel deste na rede de atenção ao idoso.

2.5 Conteúdo: Introdução ao Envelhecimento; Impactos Socias e Psicossociais na Velhice; Saúde do idoso; higiene e conforto; noções de geriatria e gerontologia; papel do cuidador no manejo das principais patologias geriátricas; promoção da saúde do cuidador e outros; origem da profissão; funções do cuidador de idosos; responsabilidade civil; Estatuto do idoso.

2.6 Metodologia: O currículo está estruturado em módulos desenvolvidos em dois momentos: a) parte teórica, utilizando estratégias educacionais tais como: estudos de caso, exposições dialogadas, oficinas; b) parte prática para treinamento e avaliação das habilidades adquiridas. Tomou-se a interdisciplinaridade como base, uma vez que as competências – definidas para tornar a aprendizagem significativa, integrando teoria e prática – mobilizam diferentes saberes e categorias profissionais (enfermagem, serviço social, medicina, sociologia, geriatria, gerontologia e pedagogia). A matriz curricular se vale, ainda, de algumas características do PBL, ao possibilitar os alunos desenvolverem pensamento crítico, habilidade na solução de problemas e aquisição de conhecimentos essenciais, por meio da utilização de problemas reais – especialmente na parte prática do curso.

2.7 Carga-horária: O Curso de Cuidador de Idoso é realizado em caráter modular, onde serão abordados temas chave para o cuidado ao idoso, com carga horária total de 120 horas, assim distribuídas:
100 horas de atividades presenciais –serão organizadas através de uma estrutura modular, considerando o eixo transversal e o eixo profissional, em períodos de concentração de 04 horas de duração, reunindo todos os participantes do curso, em encontros semanais.
20 horas de atividades práticas – cada aluno participará de atividades práticas laboratoriais e visitas técnicas sob supervisão, em serviços de atenção ao idoso, credenciados pelo Curso, com o objetivo primordial de integrar todos os conhecimentos adquiridos e demonstrar a capacidade para realizar com competência as atribuições de ocupação de Cuidador de Idosos.

 3. ORGANIZAÇÃO DA REDE DE ATENÇÃO: VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

3.2 Apresentação: A violência é um fenômeno social presente em todas as sociedades que cerceia direitos fundamentais, ameaça à vida, produz enfermidades e altera a saúde física e emocional de suas vítimas.
O Brasil possui legislação específica para o cumprimento dos direitos humanos fundamentais como o Estatuto da Criança de do Adolescente e o Estatuto do Idoso, no entanto, mesmo com referido aparato legal e com os Conselhos de Direito, as estatísticas mostram grande incidência de casos de violências, realidade que suscita maior atenção por parte dos legisladores, trabalhadores e gestores de políticas públicas.
Reconhecendo este cenário e com o papel social de transformá-lo a Escola de Saúde Pública do Ceará oferece a Capacitação para a Organização da Rede de Atenção às Vítimas de Violência, em consonância com a Política Nacional de Redução de Morbimortalidade por Acidentes e Violências (Portaria MS/GM Nº 737/2001) e como Instituição de Ensino intregrante da Rede Nacional de Prevenção da Violência e Promoção da Saúde (Portaria MS/GM 936/2004).

3.3 Público-alvo: Profissionais dos serviços de atendimento a saúde, psicológico, social, policial e jurídico, nas categorias profissionais, médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, advogados, delegados, juizes, promotores de justiça e conselheiros tutelares e de direitos.

3.4 Objetivos: Desenvolver nos participantes conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias a torná-los aptos a prestar atenção integrada e humanizada às vítimas de violência doméstica e participar da organização da Rede de Atenção às Vítimas de Violência Doméstica no Município.

3.5 Conteúdo:
As seis unidades do curso versam sobre:
Unidade I – Definindo Violência: Conceitos, aspectos socioculturais, políticos e econômicos;
Unidade II – Vigilância Epidemiológica da Violência;
Unidade III – A Família no Contexto da Violência;
Unidade IV – Direito Ética e Cidadania;
Unidade V – Organização do Serviços de Atendimento às Vítimas de Violência;
Unidade VI – Organização da Rede de atenção às vítimas de Violência Doméstica.

3.6 Metodologia: O Curso tem como referência metodológica a problematização e objetiva desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes promotoras de um processo dialógico e reflexivo de mudança da situação de atendimento às vitimas de violência doméstica para uma situação ideal de prevenção e promoção da saúde da população, através de ações pedagógicas como análise da realidade, identificação das causas do problema e teorização, formulação de hipóteses de solução e aplicação à realidade.

3.7 Carga-horária: 244 horas distribuídas em quatro momentos: sensibilização, reflexão, intervenção e partilha colaborativa com 70 horas em atividades presenciais e 174 horas em estudo à distância.
 
4. CAPACITAÇÃO PARA MULTIPLICADORES EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

4.2 Apresentação:  Escola de Saúde Pública do Ceará, por meio de parceria com a Superintendência Estadual do Meio Ambiente – SEMACE, une esforços para a Capacitação de Multiplicadores em Educação Ambiental no intuito de contribuir parra maior eficiência na elaboração, interpretação e aplicação de instrumentos legais e de defesa do meio ambiente. O curso fornece a fundamentação em educação ambiental, desde noções básicas de legislação ambiental, caracterização de resíduos sólidos, introdução às noções de recursos hídricos, até o exame de questões sobre saneamento ambiental entre os quais abastecimento, esgotamento sanitário e drenagem. Por meio da educação ambiental pretende fornecer elementos para a participação popular na formulação de políticas ambientais e na defesa do meio ambiente.

4.3 Público-alvo: Representantes de entidades, instituições, empresas ou membros da comunidade que contribuam ou pretendam contribuir para a melhoria do ambiente e das condições de saúde e de vida da população.

4.4 Objetivos: Sensibilizar, capacitar e formar multiplicadores quanto à proteção do meio ambiente e melhoria da qualidade de vida, por meio de mudanças de hábito, valores e atitudes, de modo a torná-los capazes de disseminar os conteúdos e objetivos da Educação Ambiental dentro de suas áreas de atuação.

4.5 Conteúdo: Noções básicas de legislação ambiental; resíduos sólidos; dinâmica da lixeira (conceito classificação, tipo, R’s, coleta seletiva, aterro sanitário, incinerador etc); noções de recursos hídricos; saneamento ambiental (abastecimento, esgotamento sanitário e drenagem); educação ambiental (conceitos e práticas); elaboração e apresentação de plano de ação.

4.6 Metodologia: Exposição dialogada, discussão livre, trabalhos em grupo, debates com utilização de textos educativos, apresentação de vídeos, elaboração de painéis e dinâmicas de grupo, aula em campo.

4.7 Carga-horária: 40 horas de atividades presenciais.
 
5. EDUCAÇÃO COM SAÚDE (PARA AGENTES COMUNITÁRIOS)

5.2 Apresentação:  Curso Educação com Saúde é parte integrante de um projeto realizado inicialmente em 40 municípios, realizado de 2004 a 2006, que capacitou 6 mil profissionais. A iniciativa é resultado da parceira entre a Secretaria de Educação, Secretária da Saúde, Escola de Saúde Pública do Ceará e demais articuladores.

5.3 Público-alvo: Agentes comunitários de saúde

5.4 Objetivos: Fortalecer a ação intersetorial na melhoria da saúde da criança e na conseqüente redução de morbimortalidade infantil; capacitar agentes de saúde em conteúdos e procedimentos relacionados à educação, visando à melhoria do desenvolvimento integral da criança.

5.5 Conteúdo: Infância e Direitos; Desenvolvimento e Aprendizagem; Competências Familiares; Família.

5.6 Metodologia: A metodologia centrada no aluno prioriza o trabalho coletivo com momentos de reflexão na construção do conhecimento. São utilizadas exposições dialogadas, estudos de caso, dinâmicas de grupo e discussões sobre temas relevantes à saúde e educação da criança.

5.7 Carga-horária: 100 horas-aula, presencial.

6. EDUCAÇÃO COM SAÚDE (PARA PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL)

6.2 Apresentação: O Curso Educação com Saúde é parte integrante de um projeto realizado inicialmente em 40 municípios, realizado de 2004 a 2006, que capacitou 6 mil profissionais. A iniciativa é resultado da parceira entre a Secretaria de Educação, Secretária da Saúde, Escola de Saúde Pública do Ceará e demais articuladores.

6.3 Público-alvo: Professores do Ensino Fundamental de escolas públicas

6.4 Objetivos: Fortalecer a ação intersetorial na melhoria da saúde da criança e na conseqüente redução de morbimortalidade infantil; capacitar professores das redes estaduais e municipais, em conteúdos de saúde da criança, preparando-os para desenvolverem ações relacionadas à melhoria do desenvolvimento integral infantil; proporcionar às famílias informações sobre saúde, educação e desenvolvimento infantil, fortalecendo suas competências na proteção, no cuidado e na educação da criança.

6.5 Conteúdo: Fundamentação em Atenção Materno-infantil. Estudo do Desenvolvimento Humano com Ênfase na Infância; Agravos à Saúde da Criança.

6.6 Metodologia: A metodologia centrada no aluno prioriza o trabalho coletivo com momentos de reflexão na construção do conhecimento. São utilizadas exposições dialogadas, estudos de caso, dinâmicas de grupo e discussões sobre temas relevantes à saúde e educação da criança.

6.7 Carga-horária: 100 horas-aula, presencial.
 
7. INCLUSÃO E CIDADANIA: GARANTINDO OS DIREITOS À SAÚDE DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM DEFICIÊNCIA

7.2 Apresentação: Uma sociedade que busca consolidar suas bases democráticas necessita de mecanismos capazes de promover e garantir os direitos de cidadania da população, assegurando o convívio e o respeito com as diferenças. Nessa direção, a Escola de Saúde Pública do Ceará apresenta o Curso Inclusão e Cidadania: Garantindo os Direitos à Saúde das Crianças e Adolescentes com Deficiência, para profissionais da Rede de Atenção à Pessoa com Deficiência.

7.3 Público-alvo: Profissionais da saúde e da rede de atenção à criança e ao adolescente com deficiência, entre as quais associações, abrigos, creches, Pastoral da Criança, escolas, conselhos tutelares e educadores sociais.

7.4 Objetivos: Desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes dos profissionais de atenção visando a contribuir para a excelência do cuidado e o desenvolvimento integral e integrado de crianças e adolescentes portadoras de necessidades especiais, no intuito de garantir seus direitos, especialmente relacionados à sua inclusão socioeducacional.

7.5 Conteúdo:
Direitos das crianças, ações e atividades existentes no município direcionadas a essa população, meios de prevenção, doenças mais prevalentes nessa população.

7.6 Metodologia: O Curso tem como referência metodológica a problematização e objetiva desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes promotoras de um processo dialógico e reflexivo com vistas à inclusão e cidadania de crianças e adolescentes com deficiência, com a análise da realidade, identificação das causas do problema e teorização, formulação de hipóteses de solução e garantia de direitos. Serão utilizadas exposições dialogadas, grupos de discussão, análise de casos e reflexão, visita a instituições de atendimento a crianças e adolescentes com deficiência.

7.7 Carga-horária: 40 horas-aula de atividades presenciais. 

8. CORDEL COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE

8.2 Apresentação: A literatura de cordel na contemporaneidade é empregada como recurso pedagógico, sendo o cordel uma estratégia de ensino que se revela eficaz como recurso de estímulo à leitura e facilitador do processo de ensino-aprendizagem, especialmente na educação popular. 
O cordel, força poderosa de transmissão de conhecimentos e informações, se coloca a serviço da necessidade de emergência de novos padrões de enfrentamento dos problemas de saúde, na busca da integração entre o saber técnico e o saber popular, divulgando Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, para profissionais de saúde, gestores e usuários do Sistema Único de Saúde, considerando as metodologias participativas e o saber popular e tradicional.

8.3 Público-alvo: Profissionais que tenham habilidade na produção literária e demonstrem interesse na produção de livros de Cordel, entre os quais, profissionais do SUS, servidores da própria Instituição, servidores de instituições na mesma esfera de poder, servidores de instituições de outras esferas de poder, estudantes e demais interessados.

8.4 Objetivos: Capacitar profissionais para a produção de material educativo na modalidade da literatura de cordel, como instrumento de educação popular em saúde, participação social e gestão participativa do SUS.

8.5 Conteúdo: A abordagem versará sobre formas de elaboração dessa literatura além de conceitos básicos e métodos de prevenção das patologias mais prevalentes no estado, visando sua utilização, em versos de cordel sobre ações de cidadania nas áreas de saúde e educação.

8.6 Metodologia: As atividades do curso serão realizadas por meio de estratégias fundamentadas na autoaprendizagem, em trabalhos colaborativos e na articulação de estudos teóricos com a prática profissional dos próprios cursistas. Dessa forma, os módulos serão desenvolvidos em dois momentos:
Parte Teórica – fundamentos teóricos que compõem o corpo de conhecimentos a respeito da literatura de cordel; serão utilizadas estratégias educacionais participativas tais como exposições dialogadas.
Parte Prática – treinamento e a avaliação das habilidades adquiridas durante a parte teórica; serão realizadas atividades práticas de produção de cordel.

8.7 Carga-horária: 40 horas-aula de atividades presenciais.