PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Assistência Farmacêutica debate a Fitoterapia

29 de junho de 2010 - 11:34

 
 
XII Módulo - Gestão de Serviços de Fitoterapia
A Coordenadoria de Pós-Graduação em Atenção à Saúde da Escola de Saúde Pública do Ceará dá prosseguimento, no período 29 de junho a 01 de julho, ao VIII Curso de Especialização em Gestão da Assistência Farmacêutica, com a realização do XII Módulo, que tem como tema Gestão de Serviços de Fitoterapia. As atividades acontecem na sede da ESP-CE (Avenida Antônio Justa, 3161, Meireles).

O conteúdo deste módulo objetiva contribuir para a formação de profissionais na área de fitoterapia para que prestem assistência à saúde da comunidade no que se refere à organização dos serviços das Farmácias Vivas e promoção ao uso correto de plantas medicinais e fitoterápicos.

Especificamente, esse módulo visa promover o uso racional de plantas medicinais e seus derivados, como instrumento terapêutico; Informar sobre a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS, Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF), e Regulamentação da Fitoterapia em Saúde Púbica do Estado do Ceará; Fornecer conhecimentos para o gerenciamento do Projeto Farmácias Vivas segundo o ciclo da Assistência farmacêutica; Fornecer conhecimentos fundamentais sobre validação científica de plantas medicinais e fitoterápicos no que se refere aos seus aspectos farmacológicos e químicos, com ênfase nas plantas medicinais das Farmácias Vivas; Proporcionar conhecimentos sobre os aspectos agronômicos, orientação farmacêutica sobre preparações de remédios caseiros com plantas medicinais e formas farmacêuticas de fitoterápicos segundo a Regulamentação da Fitoterapia em Saúde Pública do Estado do Ceará.

Plantas medicinais

O consumo de remédios à base de ervas e plantas medicinais é prática comum para cerca de 80% da população mundial, segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS). Os medicamentos fitoterápicos possuem uma longa tradição em países da Europa, onde são submetidos a rigoroso controle de qualidade, há mais de um século, comparável ao dos medicamentos sintéticos. O mercado mundial de fitoterápicos movimenta cerca de 50 bilhões de dólares anuais, sendo cerca de 3 bilhões somente na Alemanha, país que possui a mais desenvolvida indústria de remédios à base de vegetais, seguido pela França e Itália.

No Brasil, com cerca de 30% das florestas tropicais do planeta, admite-se que existam entre 55 mil e 80 mil espécies vegetais somente na Amazônia brasileira e que menos de 2% delas foram estudadas pelos cientistas.

Num país como o Brasil, onde a população carente não só tem dificuldades para obter os medicamentos convencionais, mas, também, adoece muito mais, o uso criterioso da fitoterapia no sistema público de saúde pode ser uma alternativa para a redução do custo dos medicamentos.

No Ceará, o projeto Farmácias Vivas, idealizado, em 1983, pelo professor Francisco José de Abreu Matos, tornou-se uma referência nacional e mundial na área de Fitoterapia em Saúde Pública. Seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), o projeto oferece assistência farmacêutica fitoterápica de base científica às comunidades mais carentes do Ceará, aproveitando as plantas de ocorrência local ou regional dotadas de atividades terapêuticas comprovadas. Devido esta experiência bem sucedida no Ceará, o Ministro da Saúde, através da Portaria Nº 886 de 20 de abril de 2010, instituiu a Farmácia Viva no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP-CE