PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Fórum focaliza avanços e desafios da Aids

17 de dezembro de 2009 - 10:51

 

                                                                                                 Foto: Andréa Veras

 

Os avanços e o enfrentamento dos desafios da atenção aos portadores de AIDS são o foco dos debates do Fórum Viver com AIDS é Possível com Preconceito Não!, que ocorre, hoje, dia 17/12, no auditório Ciro Gomes, na sede da Escola de Saúde Pública do Ceará. O evento é uma realização da Secretaria da Saúde do Ceará – numa parceria entre a ESP-CE e Coordenadoria de Promoção e Prevenção da Saúde (Coprom), através do Nuprev.

 

Prestigiado por profissionais de saúde e ativistas de organizações não-governamentais, o Fórum contou com as presenças, na mesa de abertura, de Telma Martins, supervisora do Nupev e coordenadora estadual de DST/AIDS da Sesa; de Alice Pequeno Marinho, coordenadora de Vigilância em Saúde da ESP-CE;  de Maria Deuzina Maia, presidente da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/AIDS – RNP+; de Paulo Roberto do Espírito Santo, integrante da Coordenação do Fórum do Movimento Social de Luta contra AIDS;  de Manuel  Geneflides Herculano, presidente da Rede de Solidariedade Positiva – RSP+; e de Tiago Sampaio, da Coordenação Municipal de DST/AIDS.

Em nome da Sesa, Telma Martins destacou a importância do Fórum, lembrando que é mais uma ação conjunta da Sesa e da ESP-CE tendo a Aids como foco principal  e com o objetivo de refletir as conquistas e os obstáculos a serem vencidos na assistência aos portadores da doença. No Ceará, foram notificados 10.500 pessoas contaminadas pelo vírus HIV.

A representante da Sesa assinalou que a descentralização da assistência dos serviços no interior e em Fortaleza é um dos principais avanços.  Ela reconheceu, no entanto, que “os desafios são imensos, sendo o preconceito o maior deles”.   Seu ponto de vista foi reforçado pelo ativista Paulo do Espírito Santo, ao afirmar em seu depoimento que “os avanços não têm acompanhado o crescimento da epidemia no Ceará”.  Paulo apontou a discriminação como o problema mais grave sofrido pelos portadores de Aids em nosso Estado.

Tiago Sampaio, ao enumerar as ações da Coordenação Municipal de DST/Aids,  pontuou como avanço o acesso ao diagnóstico precoce que a Secretaria de Saúde de Fortaleza tem possibilitado. Neste ano, durante a campanha “Fique Sabendo” foram realizados 1.972 testes, dos quais 20% notificados como positivos.

Em seu depoimento, Alice Pequeno Marinho avaliou como positivo o estreitamento das relações entre a Sesa e a ESP-CE em relação ao tema das DST/Aids.  Esse trabalho conjunto, segundo ela, permitiu que, em 2009, tenham sido realizadas 45 capacitações em 163 municípios, envolvendo 2 mil pessoas. Os eventos disseminaram conhecimentos entre os profissionais de saúde que atuam na assistência aos portadores de DST/Aids,  permitindo que as reflexões norteiem as estratégias de enfrentamento.

Para discutir o tema central do Fórum, acontecem duas mesas redondas: “Os Avanços e Desafios na Atenção as Pessoas Vivendo com Aids”, tendo Telma Martins como moderada; e “QUALIAIDS: Perspectivas na Atenção”, tendo Albaniza Leite como moderadora. Na programação, o evento tem ainda a palestra “Aids na Terceria Década: Desafios e Perspectivas”, proferida por Roberto da Justa Pires Neto, da Sociedade Cearense de Infectologia e professor da Faculdade de Medicina da  Universidade Federal do Ceará.

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP-CE