PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

ESP-CE inicia Especialização em Vigilância em Saúde Ambiental

8 de julho de 2009 - 17:00

                                                                                           Foto: Helenilton Souza

 

A necessidade de fortalecer as ações da Saúde Ambiental, uma área ainda considerada incipiente no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS), foi defendida nos depoimentos feitos durante a cerimônia de abertura do III Curso de Especialização em Vigilância em Saúde Ambiental, ocorrida às 9 horas deste dia 07/07, no auditório Ciro Gomes da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE).

No início da tarde, aconteceu a aula inaugural, com a palestra de Daniela Buosi Rohlfs, coordenadora geral de Vigilância em Saúde Ambiental do Ministério da Saúde, sobre o tema “A inserção da Vigilância em Saúde Ambiental no Sistema Único de Saúde: desafios e perspectivas”, também na sede da ESP-CE.

A cerimônia de abertura foi prestigiada pelos alunos do curso, pelo superintendente da ESP-CE, Haroldo Pontes; Gláucia Norões, coordenadora do Núcleo de Vigilância em Saúde Ambiental da Secretaria da Saúde do Ceará; Alice Pequeno Marinho, gestora da Coordenadoria de Pós Graduação em Vigilância da Saúde; e Edenilo Barreira, coordenador da especialização.

                                                                                                 Foto: Andréa Veras

 

Inclusão social

Segundo o superintendente da ESP-CE, Haroldo Pontes, a Especialização de Vigilância em Saúde Ambiental faz parte de um conjunto de atividades da ESP-CE inserido dentro da missão da instituição de contribuir para a construção do Sistema Único de Saúde.   “Nós trabalhadores da saúde sabemos que essa não é uma tarefa fácil, por conta das inúmeras dificuldades no seu processo de implementação. Mas temos a clareza que o SUS é o maior projeto de inclusão social do mundo, garantindo a participação de toda a população. Antes dele, em 1988, o acesso à saúde era restrito a quem possuía carteira de trabalho. A partir da criação do SUS, a saúde passou a ser um dever constitucional do Estado”, destacou Haroldo Pontes.

Dos quase 16 mil alunos envolvidos nos cursos realizados pela ESP-CE, Haroldo Pontes lembrou que a maioria é composta de trabalhadores de saúde que atuam nos serviços prestados pelo SUS.  Esse fato, enfatizou ele, demonstra o papel importante da Escola no processo de qualificação da formação profissional dos gestores e trabalhadores do SUS na perspectiva de mudar o perfil da saúde da sociedade. “Queremos formar equipes de profissionais que possam melhorar a qualidade de vida do Ceará e do Brasil”, frisou o superintendente da ESP-CE.

Alice Pequeno Marinho, gestora da Coordenadoria de Pós Gradução em Vigilância da Saúde da ESP-CE, manifestou sua satisfação em viabilizar a terceira edição desta Especialização, resultado de um árduo trabalho de elaboração do seu conteúdo programático para oferecer instrumentos necessários para a aplicação de ações de Saúde Ambiental nos municípios cearenses.

Emocionada, Gláucia Norões, coordenadora do Núcleo de Vigilância em Saúde Ambiental da Sesa, reconheceu o extremo zelo que a ESP-CE tem dado, ao longo de sua existência, no processo de capacitação dos recursos humanos que atuam no SUS. Em relação à Especialização que se inicia, Gláucia Norões falou da importância do Curso em oferecer subsídios para se identificar e combater as doenças decorrentes de fatores ambientais.
   
Sobre o curso

Promovido pela Coordenadoria de Pós Graduação em Vigilância da Saúde da ESP-CE, em parceria com a Coordenadoria de Promoção da e Proteção Saúde da Sesa, o curso é direcionado a profissionais de nível superior, que exercem funções de coordenação ou técnica, na área de vigilância em saúde ambiental, nos municípios, Coordenadorias Regionais de Saúde e Secretaria da Saúde do Ceará.

Baseado em competências e visando atender às necessidades do SUS nas ações relativas à Saúde Ambiental, o seu conteúdo programático habilitará os participantes, no final da especialização, a identificar ou prevenir qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes do meio ambiente que interfiram na saúde humana; recomendar e adotar medidas de prevenção e controle das situações de risco ambientais; coordenar e executar ações de Vigilância em Saúde Ambiental relacionadas à qualidade da água, populações expostas a solos contaminados, poluição do ar, produtos químicos e desastres naturais. “Pretendemos oferecer ferramentas para que esses profissionais possam estruturar ou melhorar os serviços de vigilância ambiental nos municípios em que atuam”, explica Edenilo Barreira, coordenador do curso.

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP-CE – ascom@esp.ce.gov.br