PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

SUS vive momento de ebulição

4 de setembro de 2008 - 20:32

 

 
A gestão do SUS é dinâmica, afirmou o secretário da Saúde do Estado, João Ananias, durante a conferência “20 anos do SUS: desafios no Ceará”. Ananias ressaltou que o SUS não foi feito como um documento acabado, mas passível de modificações a serem implementadas pela sociedade. “Não poderíamos ter um programa pronto. Temos alguns pontos a corrigir e estamos vivendo um momento de ebulição. Afinal, a lógica de concepção do SUS é que ele funcione como um todo e integrado”, afirmou.

O secretário lembrou a importância do movimento sanitário que culminou com a VIII Conferência Nacional de Saúde, em 1986, e conseqüentemente a criação do SUS.  “Temos que exaltar o SUS porque sabemos como avançou. É muito simples, basta recorrer aos indicadores. Claro que há algumas recorrências, mas conseguimos resolver uma grande gama de problemas”.

Ananias ressaltou que o Sistema proporcionou um movimento inverso em termos de êxodo, levando profissionais de saúde a atuarem no interior do Estado. “O SUS propiciou a inversão desse setor, porque deslocou, pelo mercado de trabalho que se abriu, profissionais para as localidades mais distantes”.

O secretário explicou que, na dimensão de cidadania atual, as pessoas começam a entender saúde não como um favor, mas como um direito. “De um lado há o povo brigando por mais qualidade e do outro há um sistema ousado, mas ainda sub-financiado”, disse, defendendo que é preciso coragem para corrigir isso “Cada um que tem sua influência no orçamento de seu município carregue sua bateria para investir dinheiro lá. Temos que ter recursos para a atenção primária e no Estado do Ceará estamos lutando por isso”, completou.

Ele informou que a proposta de gestão por resultados que está sendo implementada no Estado visa a reduzir o fosso entre atenção primária e atenção secundária, nas especialidades, principalmente médicas. “Vamos ter 20 centros de especialidades médicas. Cada um a R$ 5 milhões. É muito dinheiro, mas para o povo, porque precisamos corrigir essa equação entre oferta e demanda”, pontuou.

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP-CE – ascom@esp.ce.gov.br