PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Seminário promove prevenção da violência na atenção primária

18 de maio de 2010 - 11:24

 
 
A Secretaria da Saúde do Estado realizará nos dias 19 e 20 de maio, quarta e quinta-feira, o II Seminário Macrorregional de Estruturação de Ações e Prevenção da Violência e Estímulo à Cultura da Paz na Estratégia Saúde da Família e a Reunião Técnica de Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA). Os dois eventos acontecem no auditório do Centro de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Sobral, na Rua Finlândia, s/n, Parque Silvana II, das 8 às 17 horas. Com o objetivo de estimular a prevenção da violência e promoção da saúde na atenção básica, o seminário reunirá técnicos das secretarias de saúde de 55 municípios de cinco Coordenadorias Regionais de Saúde (CRES) da Macrorregião de Saúde de Sobral. Durante o seminário será apresentada a Política Nacional de Redução da Morbidade por Acidentes e Violências.

A Secretaria da Saúde estruturou e implantou a Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA) em 19 das 21 CRES, correspondentes a 163 municípios. As ações de prevenção da violência no Programa Saúde da Família (PSF) já são realizadas em 103 municípios de 13 CRES. Com o seminário, a Secretaria da Saúde pretende ampliar o número de municípios que desenvolvem ações de prevenção da violência no PSF com a apresentação de experiências bem sucedidas no Estado, a divulgação da Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências e debates sobre promoção da saúde, estruturação do VIVA e estímulo à cultura de paz.

As violências representam a terceira causa de morte na população geral e são responsáveis pela primeira causa de morte na faixa etária de um a 39 anos de idade. A grande maioria das vítimas de trânsito são os pedestres, principalmente crianças e idosos. A maioria dos homicídios ocorre em adolescentes, jovens e adultos jovens com uma maior concentração na faixa etária de 20 a 29 anos, o que tem causado um grande impacto sobre a saúde da população, diminuído a qualidade e expectativa de vida de adolescentes e jovens. A maioria das vítimas são homens, jovens, da raça negra, baixa escolaridade e nível sócio-econômico.

Enquanto problema de Saúde Pública, as violências e os acidentes expressam-se com alto impacto no adoecimento e morte da população, especialmente na mortalidade precoce, na diminuição da expectativa e qualidade de vida de adolescentes, jovens e adultos.

A Vigilância de Violências e Acidentes possibilita conhecer melhor a dimensão dos acidentes em geral, seja de trânsito, de trabalho, doméstico, quedas, queimaduras, afogamentos, intoxicações, como também possibilita identificar a violência doméstica e sexual, que ainda permanece “oculta” na esfera privada, principalmente os maus tratos contra crianças, adolescentes, mulheres e pessoas idosas.

Pesquisa do Ministério da Saúde sobre o perfil das vítimas de acidentes e violências no país, com dados do VIVA, apontou que os homens são os que mais geram atendimentos nas urgências e emergências do Sistema Único de Saúde (SUS). A pesquisa, realizada em 84 unidades de atendimento em 37 municípios, informa que eles são os maiores agressores e também os mais agredidos em situações que envolvem acidentes e violências. A pesquisa foi realizada com dados coletados no período de 30 dias, entre setembro e outubro de 2007.

O  Sistema VIVA foi implantado pelo Ministério da Saúde em 2006, com a finalidade de viabilizar a obtenção de dados e divulgação de informações sobre violências e acidentes, o que possibilitará conhecer a magnitude desses graves problemas de saúde pública. Para o Ceará Já estão com recursos assegurados pelo Ministério da Saúde a implantação de oito Núcleos de Violência e Promoção da Saúde nos municípios com mais de 100 mil habitantes. Os municípios contemplados são Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Juazeiro do Norte, Crato, Sobral e Itapipoca.

PROGRAMAÇÃO

19 de maio

8h – Inscrição e entrega de material

8h30min – Apresentação de coral

9h – Mesa de abertura com representantes do Ministério da Saúde e Sesa

9h40min – Palestra “Política Nacional de Promoção da Saúde e a Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências”
Mércia Gomes Oliveira de Carvalho – Técnica da Coordenação Geral de Doenças e Agravos Não Transmissíveis da SVS

10h20min – Intervalo

10h40min – Mesa redonda “Promoção da Saúde e Prevenção da Violência”

Coordenação:
Maria Lucila Magalhães Rodrigues – Coordenadora da 11º CRES Sobral

Participantes:
“Política de Promoção da Saúde no Estado do Ceará”
Manoel Dias da Fonsêca Neto – Coordenador de Promoção e Proteção à Saúde da Sesa

“Estratégias de promoção da saúde e prevenção da violência intrafamiliar e comunitária”
Eliany Nazaré Oliveira – Professora da Universidade do Vale do Acaraú

11h40min – Debate

12h – Almoço

13h30min – Palestra “Intersetorialidade na promoção da Saúde e no Enfrentamento da Violência”
Mércia Gomes Oliveira de Carvalho

14h30min – Exposição de Experiências em Promoção da Saúde

Coordenação:
Socorro Ramos da Ponte – Técnica do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Sesa

Participantes:
Representantes dos municípios de Sobral, Reriutaba, Cariré e Massapê

16h – Debate

16h30min – Lanche

20 de maio

8h30min – Exposição Dialogada “Projeto de Vigilância de Violências e Acidentes – VIVA: implantação no Ceará”
Augediva Jucá Pordeus – Técnica do Nuias/Coprom/Sesa

10h15min – Intervalo

10h35min – Exposição Dialogada “Ficha de Notificação/Investigação de Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências e Manual Instrutivo”

12h – Almoço

13h30min – Exposição Dialogada “Apresentação do VIVA SINAN-NET”
Clara Maria Nantua Evangelista – Técnica do Nuias/Coprom/Sesa

14h30min – Exposição Dialogada “Rede de Núcleos de Prevenção da Violência e Promoção da Saúde e Cultura da Paz”
Mércia Gomes Oliveira de Carvalho

15h30min – Intervalo

15h50min – Palestra “Construindo coletivamente estratégias de enfrentamento das violências e acidentes”
Mércia Gomes Oliveira de Carvalho

16h às 17h – Encaminhamentos finais e encerramento

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Sesa