PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

CE tem maior número de vagas para residentes

18 de janeiro de 2010 - 10:38

 
Basta sair da faculdade de medicina para se tornar pediatra, cirurgião ou oftalmologista, por exemplo? Não. No Brasil, as especializações é que dão ‘título’ aos médicos e garantem uma maior qualidade aos serviços de saúde. Tentando efetivar melhorias em hospitais e mais formação aos recém-formados, a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) anunciou a criação de mais 188 vagas de residência médica no Ceará. Segundo o secretário executivo, Arruda Bastos, esse número é recorde no país e irá garantir novas especializações que antes só eram ofertadas em outros estados e países. “Como estamos construindo mais unidades hospitalares temos que ofertar mais formação para termos mais médicos capacitados à disposição”, frisou Arruda.

Bolsa de R$ 1600,00

Tida como um de tantos outros tipos de especialização, a residência médica não é obrigatória para o médico recém-formado que exerce a parte de clinicagem geral, entretanto, para o profissional se apresentar como um geriatra, por exemplo, ele tem que fazer uma residência médica na área. “A residência é fundamental para que o médico possa se habilitar e se capacitar para não colocar nem ele e nem o paciente em risco”, frisou Everardo de Macedo, supervisor do programa de Residência em obstetrícia do Hospital Geral Cesar Cals (HGCC). O aluno passa por, em média três anos de curso, e ganha bolsa de cerca de R$ 1.600.

Tido como um treinamento teórico e prático com carga horária média em torno de 2.880 horas/aula, a residência médica tem sido bastante procurada, ultimamente, por o aumento de exigência que certas doenças têm exigido. Para Everardo de Macedo, o envelhecimento da população e os avanços em tratamentos têm forçado o médico a estar sempre atualizado. “A residência é a especialização mais completa. Tem outras formas de se especializar, entretanto, esse é o método mais rigoroso”, disse o supervisor que hoje atende 15 residentes no HGCC.

188 novas vagas no Ceará

Para o secretário executivo da Sesa, Arruda Bastos, o Ceará, com essa ampliação de vagas, deu um grande passo para garantir a formação de médicos especialistas que irão trabalhar nas unidades de saúde ampliadas e nas novas unidades que o Governo do Estado está incorporando à rede pública de saúde. Dessas novas vagas, 71 referem-se a ampliação da oferta de vagas de Programas de Residência Médica já existentes e 26 a novos Programas criados para 2010, em sete especialidades – coloproctologia, dermatologia, geriatria, Medicina da Família e Comunidade, patologia, patologia clínica/medicina laboratorial e psiquiatria infantil e da adolescência. Atualmente, são 131 vagas ofertadas pela Sesa.
As demais vagas aprovadas para o Ceará foram solicitadas pela Universidade Federal do Ceará (33) e pela Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (58). A Portaria conjunta da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação e da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, que distribui as novas vagas de residência médica, foi publicada no Diário Oficial da União de 7 de janeiro de 2010. A implementação do projeto proposto pela Secretaria da Saúde será acompanhada por uma comissão do programa.
 
 
Fonte: Jornal O Estado CE