PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Dengue controlada

6 de agosto de 2008 - 17:15

 
 
 
A epidemia de dengue, no Ceará, que poderia ter sido catastrófica, está controlada e causou uma letalidade relativamente bem menor do que a esperada, diferentemente do Rio de Janeiro, onde mais de uma centena de pessoas tiveram suas vidas ceifadas por este flagelo. Para se ter uma idéia da potencialidade transmissiva e destrutiva do mosquito Aedes aegypti, só em abril, no pico da epidemia, tivemos 13.683 casos de dengue clássica e 128 de dengue hemorrágica, 3 vezes mais doentes do que no ano passado, no mesmo período.

Como foi possível controlar esta epidemia e evitar que uma centena de pessoas morresse? Apontamos cinco fatores determinantes na redução de danos e no controle total da epidemia. Primeiro, a coragem cívica do Sr. Secretário de Estado da Saúde João Ananias que, em março, reconheceu publicamente a epidemia, convocando a todos para o combate ao mosquito e o pronto apoio recebido do Sr. Governador do Estado, Cid Ferreira Gomes. Segundo, a capacidade de resposta de todos os Secretários Municipais de Saúde, mobilizando pessoal e os parcos recursos municipais para o enfrentamento. Destaque-se o empenho do Sr. Secretário de Saúde de Fortaleza, Odorico Monteiro, que assumiu pessoalmente o comando das operações na Capital, onde a situação se mostrou mais grave e explosiva, pelas condições ambientais e sociais adversas. Terceiro, a pronta, organizada e jamais vista mobilização da sociedade civil, numa verdadeira demonstração de consciência sanitária e cidadã.

Cabe um destaque especial para a mídia, que jogou um papel decisivo no envolvimento de diversos setores da sociedade. Quarto, a qualificação e dedicação dos profissionais de saúde, tanto na área de controle vetorial e vigilância epidemiológica, mas principalmente na área de assistência, nos centros de saúde e hospitais, o que permitiu o diagnóstico precoce, o tratamento imediato e a redução dramática de danos e óbitos. Finalmente o apoio irrestrito do Sr. Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, através da Secretaria de Vigilância à Saúde, nos cedendo vinte carros equipados com máquinas UBV e fornecendo o inseticida Malathion, de alta eficácia na destruição do mosquito alado, o que favoreceu a quebra da transmissão e o controle. A Sociedade Cearense está, portanto, de parabéns, pois todos combatemos o bom combate.

Agora, não podemos baixar a guarda e devemos continuar as ações de prevenção e proteção de nossos lares e familiares.

Manoel Dias da Fonsêca Neto – Presidente do Comitê Cearense de Combate ao Dengue. Coordenador de Promoção e Proteção à Saúde da Sesa-CE