PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

Com mais de 5 mil participantes, VIII ExpoESP entra para a história como a maior edição já realizada pela Escola

21 de novembro de 2022 - 16:39 # # # # #

Texto: Juliana Marques | Fotos: Deborah Muniz

Jadson Franco, coordenador geral do evento e Marcelo Alcantara, superintendente da ESP/CE, durante o                      encerramento da programação

A VIII ExpoESP, que aconteceu de 17 a 19 de novembro, no Centro de Eventos, em Fortaleza, entrou para a história como a edição mais grandiosa da Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues ESP/CE, autarquia vinculada à Sesa. O evento acumulou 5.020 inscrições, 721 trabalhos científicos, 176 avaliadores, 135 palestrantes, 9 eventos integrados, além de uma programação diversificada em 10 auditórios e 22 espaços de atividades simultâneas.

No último sábado (19), encerramento geral do evento, aconteceram apresentações de trabalhos, palestras e a última edição do ano do Cine Besp, além de apresentações culturais e Feirinha Zen. 

Esse é o primeiro ano que eu participo de uma EXPOESP e gostei bastante do que vi desde o primeiro dia. Apresentei trabalho científico e destaco essa organização e planejamento das ações, tanto em relação à sincronia das horas entre elas, quanto aos temas abordados“, disse a assistente social, Jaqueline Brito Silva. Ela participou ativamente de todas as atividades do congresso ao longo dos três dias de evento.

No palco principal do mezanino 2, aconteceu a palestra “Sistema Saúde Escola no SUS: compromisso democrático com a produção da vida no(s) território(s) do cuidado”. O bate-papo teve a mediação da coordenadora do projeto Rede Saúde Escola/ESP-CE, Ana Paula Cavalcante Ramalho Brilhante e como convidado o professor titular de Educação em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), membro da diretoria da Rede Unida e coordenador do Fórum de Residência, Ricardo Burg Ceccim. 

“O Sistema de Saúde-Escola se ocupa com o desenvolvimento dos trabalhadores, dos trabalhos, do estudo continuado sobre as necessidades em saúde da população e transforma tudo isso em prática. Então, a gente pensa que o SUS é uma escola, um espaço de formação e de desenvolver saberes e não apenas um lugar que recebe estagiários”, disse o especialista durante sua fala. 

Cine BESP

Em uma das salas do auditório 5, também acontecia a edição do mês de novembro do Cine Besp. Na ocasião, foi apresentado o curta-metragem “Ilha das Flores”, do realizador Jorge Furtado.

O documentário apresenta a trajetória de um tomate, desde a colheita ao descarte por uma dona de casa, até a chegada ao lixão da ilha, onde crianças disputam alimentos que sequer servem de comida para os porcos. O filme faz uma crítica às desigualdades sociais geradas pelo sistema capitalista e a ausência de políticas públicas para solucionar a miséria de parte da população brasileira.

A exibição foi seguida de um debate sobre como o controle social e as instituições de saúde públicas podem atuar juntas para o fomento da cidadania no país. Participaram da apresentação, a mestra em Direito Público e ouvidora substituta da ESP/CE, Maria Elci Galvão e a gerente de projetos do Laboratório de Inovação de Fortaleza (Labifor), Narlania Leite. 

Espero que, depois dessa conversa, a gente possa pensar melhor no que a gente vai fazer, seja comprando, seja utilizando ou deixando de comprar. Que possamos repensar nossas atitudes”, refletiu Narlania. 

A Ouvidoria, por exemplo, é um instrumento fundamental para a melhoria da administração pública. E quando o cidadão realiza su

a manifestação junto aos órgãos ele está contribuindo para essa melhoria“,  destacou Elci Galvão.

Essa edição do Cine Besp foi apresentada pelo gerente de Pesquisa em Saúde, Jadson Franco, e mediada pela realizadora em audiovisual, Raiane Ferreira. 

Feirinha Zen

Ao longo dos três dias de evento, expositores de marcas criativas e locais da capital cearense participaram da ExpoESP

Ao longo dos três dias de evento, a Feirinha Zen ficou disponível aos participantes. Misturando artesanato, moda e gastronomia, os expositores de marcas criativas e locais da capital cearense ficaram disponíveis no foyer do mezanino, das 8h às 20h.

Uma das organizadoras da Feirinha Zen, Vitória San, ressaltou a participação do grupo na ExpoESP como positiva. “Estivemos no evento durante seus três dias e contamos com um público bem diversificado entre estudantes, profissionais da área da saúde. A ESP nos acolheu muito bem. Só temos a agradecer tanto à Escola quanto ao Governo do Estado do Ceará, pelo apoio“, comemorou.

Encerramento 

O evento foi encerrado oficialmente, no palco principal, pelo superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará, Marcelo Alcantara, por volta de meio-dia. Na ocasião, ele apresentou 14 propostas para se trabalhar nas próximas gestões em prol de uma ESP/CE e um SUS mais fortes. Foram elas:

– Quadro técnico permanente de excelência; 

– Carreamento dos recursos e maior autonomia administrativa;

– Apoio de fundos públicos estaduais visando educação, pesquisa e inovação;

– Implementação da Rede de Pesquisa em Saúde do Ceará; 

– Implementação da Rede de Inovação Aberta em Saúde;

– Implementação do sistema de formação e avaliação da força de trabalho em saúde;

– Criação da Rede de Escolas de Saúde do Estado;

– Apoio à construção e à implementação da política de recursos humanos do SUS;

– Fortalecimento do AMPLIARES (residências médica e multiprofissional);

– Criação do Programa de Excelência em Gestão da Saúde;

– Design thinking de políticas públicas com o Felicilab, lab. de inovação do SUS;

– Fortalecimento de canais de comunicação de massa com a sociedade;

– Consolidação do Centro de Inteligência em Saúde do Estado do Ceará (CISEC);

– Realização da ExpoESP de maneira anual. 

De acordo com o gestor, o evento marcou a história da Escola. “Uma série de temas relevantes foram debatidos ao longo desses dias, contribuindo para o conhecimento e fortalecimento do Sistema Único de Saúde no Estado do Ceará”, concluiu. 

Parahyba e Cia. Bate Palmas e Coral Cais

A arte fez parte de todo o evento! E não foi diferente no último dia de ExpoESP. Por volta das 10h, teve a apresentação do Coral Cais, no auditório principal. O Coral dos Amigos de Izaíra Silvino existe desde 2018 e cantou músicas populares brasileiras. 

Para fechar as atividades da VIII edição, o coletivo Parahyba e a Cia. Bate Palmas subiu ao palco e animou os participantes, após a fala final da organização do evento. 

O grupo realiza apresentações culturais na cidade com shows, cortejos, atividades arte-educativas, confecção de instrumentos e produção de músicas temáticas que valorizam a cultura popular brasileira. E foi com muito baião e música popular que o coletivo encerrou as atividades no palco principal da ExpoESP. 

Confira os melhores momentos da ExpoESP em nosso perfil do Instagram.