PortugueseEnglishFrenchSpanish
PortugueseEnglishFrenchSpanish

ESP-CE terá estande no Congresso do Uso Racional de Medicamentos

23 de outubro de 2009 - 15:50

 
A Escola de Saúde Pública do Ceará terá estande no Congresso, onde serão apresentadas a abordagem do uso racional de medicamentos em capacitações de profissionais para o SUS. Serão apresentados cursos de especialização, técnicos e básicos que fazem da ESP-CE referência na qualificação de pessoas na área de assistência farmacêutica.

Os medicamentos são os maiores responsáveis pelos casos de intoxicação humana no país. Dos 112.403 casos de intoxicação humana registrados em 2007 pelo Sistema Nacional de Informações Tóxico-farmacológicas (SINITOX), da Fundação Oswaldo Cruz, 34.068 deles, ou 30,31%, foram provocados por medicamentos, com 90 óbitos. No Ceará, a proporção de intoxicação por medicamentos é a metade daquela verificada no Brasil. No Estado foram registrados, no mesmo ano, 2.500 casos de intoxicação humana, 379 (15,16%) causados por medicamentos, com 9 óbitos. É nesse cenário que se realiza de 26 a 30 de outubro, no Centro de Convenções de Fortaleza, o III Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos.

Do total de casos de intoxicação humana por medicamentos registrados no Brasil em 2007, 15.124 (44,39%) foram em conseqüência de tentativa de suicídio, principal forma desse tipo de intoxicação. Os demais casos são registrados como acidentes individuais, principalmente envolvendo crianças, automedicação, uso indevido, abuso, prescrição inadequada, erro de administração, tentativa de aborto, entre outros fatores evitáveis pelo uso racional. O uso irracional tem conseqüências na saúde das pessoas e além de gerar custos ao paciente, que pode não estar sendo tratado da maneira mais adequada e assim levará mais tempo para a cura, também onera o sistema de saúde. Passa-se mais tempo tomando um medicamento desnecessário e não se consegue o efeito desejado.

A promoção do uso racional de medicamentos faz parte das estratégias da Organização Mundial de Saúde (OMS). Conforme a OMS, “há uso racional quando pacientes recebem medicamentos apropriados para suas condições clínicas, em doses adequadas às suas necessidades individuais, por um período adequado e ao menor custo para si e para a comunidade”. Uso racional também implica na oferta de tratamentos, insumos e tecnologias com base nas melhores práticas terapêuticas e assistenciais, amparadas em evidências científicas seguras, estudos clínicos com resultados confiáveis, e que, principalmente, tenham sido avaliados pelas instâncias regulatórias e de fiscalização no País, nesse caso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Por isso, o médico que prescreve também precisa estar atualizado com informações isentas de interesses da indústria farmacêutica. A prescrição também deve sempre vir acompanhada de uma orientação adequada. Com o intuito de incentivar o Uso Racional de Medicamentos, o Ministério da Saúde mantém uma lista de medicamentos essenciais (RENAME), coordena o Comitê Nacional para Uso Racional de Medicamentos, incentiva o ensino deste conteúdo nos cursos de graduação e pós-graduação, contribui para a divulgação de informações isentas de interesse privados e coordena programas que promovem o acesso aos medicamentos em todo o país.

Com o tema “Incorporando o Uso Racional de Medicamentos às Práticas Profissionais em Saúde”, o III Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos reunirá docentes, pesquisadores, profissionais de saúde, gestores, representações dos diferentes segmentos do setor produtivo, representações do setor de mídia e comunicação, usuários e suas representações, operadores do Direito, e estudantes. O congresso é organizado pela Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, Agência Nacional de Vigilância Sanitária e Ministério da Saúde, e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). As atividades pré-congresso prevêem a realização de 18 cursos e quatro oficinas na segunda e terça-feira, dias 26 e 27. Na noite de terça-feira, 27, acontece a abertura solene do Congresso, a partir das 21 horas. No encerramento do Congresso, sexta-feira, 30, será a provada a Carta de Fortaleza e acontecerá a premiação dos trabalhos apresentados.

 

P R O G R A M A Ç Ã O

Hora

27 de Outubro

19h – 21h

Mesa de abertura do III Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos

 

Hora

28 de Outubro

10h – 11h

Conferência 1

Ações em Prol do Uso Racional de Medicamentos na América Latina: buscando a integração
José Luis de Castro – Organização Pan-Americana de Saúde/OMS – Argentina

11h -13h

Mesa Redonda 1

Estratégias políticas e educativas de Uso Racional de Medicamentos no Brasil e suas repercussões na prática profissional em saúde

– Diferentes abordagens e iniciativas governamentais em prol do uso racional de medicamentos desenvolvidas em diferentes cenários
José Miguel do Nascimento Júnior –Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos/Ministério da Saúde

– Iniciativas educacionais para promoção do uso racional de medicamentos

– Repercussões na prática profissional: avanços e desafios
Suely Rozenfeld – Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz

Moderador: Christophe Rérat – Organização Pan-Americana de Saúde/OMS –Brasil
Organização: Christophe Rérat e Luiz Henrique Costa

14h – 16h

Mesa Redonda 2

Desafios ao acesso racional de medicamentos
A RENAME como norteadora do Uso Racional de Medicamentos no país

– Luciane Cruz Lopes – Comissão Técnica e Multidisciplinar de Atualização da Rename / Ministério da Saúde
Política de produção de medicamentos como garantia de acesso

– Suely Lins Galdino – Universidade Federal de Pernambuco / Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Inovação Farmacêutica

– Serviço farmacêutico como garantia do acesso
José Miguel do Nascimento Júnior – Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos/Ministério da Saúde

Moderadora:: Lore Lamb – Assessora Técnicado Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS
Organização: Mareni Rocha Farias

16h – 16h30

Comunicação oral

16h30 – 17h30

Conferência 2

Lista de Medicamentos Essenciais para Crianças: Estratégia da OMS para promover o Uso Racional de Medicamentos em pediatria
Andy Gray
Dept of Therapeutics and Medicines Management / Centre for the AIDS Programme of Research in South Africa

17h30 – 19h30

Mesa Redonda 3

Desafios ao acesso racional de medicamentos em pediatria

– As particularidades do tratamento farmacológico para crianças
Luiz Carlos Rey – Universidade Federal do Ceará

– Desenvolvimento de medicamentos para crianças: necessidades e desafios
Tony Nunn – NIHR Medicines for Children Research Network/
University of Liverpool

– Necessidades de medicamentos para crianças no Brasil
Helena Lutéscia Luna Coelho – Universidade Federal do Ceará

Moderador: Edina Koga da Silva – Centro Cochrane do Brasil
Organização: Luciane Cruz Lopes e Helena Lutéscia Luna Coelho

19h30 – 20h

Pôster

 

Hora

29 de Outubro

10h – 11h

Conferência 3

A Ética como Fundamento do Uso Racional de Medicamentos
Fernando José Rocha – Universidade Federal do Rio Grande do Sul

11h – 13h

Mesa Redonda 4

Aspectos Éticos no Uso de Medicamentos

– A produção de evidência científica na Pesquisa
Flávio Danni Fuchs – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

– Informação x propaganda: o papel da mídia
Álvaro Nascimento – Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz

– Ética na prescrição de medicamentos: No Free Lunch
André Wajner – Hospital Nossa Senhora da Conceição, Sociedade Brasileira de Medicina Hospitalar

Moderador: Lenita Wannmacher – Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Organização: Lenita Wannmacher

14h – 15h

Conferência 4

Como avança a integração entre profissionais do Direito e da Saúde no sentido do acesso a medicamentos racionais?
Dalmo de Abreu Dallari, São Paulo

15h – 15h30

Comunicação oral

15h30 – 17h30

Mesa Redonda 5

Interface entre Saúde e Direito

– O papel das evidências como suporte na tomada de decisão jurídica
Álvaro Atallah – Centro Cochrane do Brasil

– Experiências integradoras
Paulo Dornelles Picon – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre

– Lógica da estruturação da Assistência Farmacêutica (componentes, financiamento, responsabilidades, lacunas, protocolos clínicos)
Rodrigo Fernandes Alexandre – Coordenação Geral de Medicamentos de Dispensação Excepcional /Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos/ Ministério da Saúde

Organização: Célia Gervásio Chaves

17h30 – 19h30

Mesa Redonda 6

Instrumentalização do uso racional de medicamentos em ambiente hospitalar

– Papel da Administração Central da Instituição Hospitalar
Anastácio de Queiroz Sousa – Hospital são José de Doenças Infecciosas – Ceará

– Papel da Comissão de Farmácia e Terapêutica e da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar
Adriana Latado – Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos – Bahia

– Papel do Médico
André Wajner – Hospital Nossa Senhora da Conceição, Sociedade Brasileira de Medicina Hospitalar

Organização: Lúcia de Araújo Costa Noblat

19h30 – 20h

Pôster

 

Hora

30 de Outubro

10h – 13h

Painel

Uso Racional de Medicamentos: Contribuição para a Segurança do Paciente

Eduardo Barbosa Coelho – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/Universidade de São Paulo
Érica Negrini Lia – Faculdade de Ciências da Saúde/Universidade de Brasília
Eugenié Desirré Rabelo Neri – Universidade Federal do Ceará
Marisa Lea Sarrubo – Instituto do Coração/Hospital das Clínicas/Universidade de São Paulo
Antônio Alves Ferreira – Conselho Estadual de Saúde – Fortaleza – CE

Organização:Clarice Petramale e Patrícia Fernanda Toledo Barbosa

14h – 15h

Conferência 5

Estratégias Educativas para o Uso Racional de Medicamentos. A Experiência de Acción Internacional por La Salud
Benito Marchand AIS-Nicaragua / Acción internacional por la Salud

15h – 17h

Apresentação e aprovação da Carta do Ceará
Premiação dos trabalhos
Encerramento