Acesso Rápido

O que você precisa?

Telefones Úteis

Residência na Rua partilha primeiras devolutivas de 2017

Ter, 07 de agosto de 2017 14:26

 

 

 

A equipe do Projeto Residência na Rua: Saúde, Cultura e Arte (PRR) reuniu-se, no último dia 2, para apresentar os encaminhamentos iniciais das atividades realizadas no primeiro semestre de 2017. Implementada desde 2016, a iniciativa coordenada pela Residência Integrada em Saúde da Escola de Saúde Pública do Ceará (RIS-ESP/CE) é um projeto intersetorial de promoção da saúde e cidadania junto à população em situação de rua da Praça do Ferreira a partir de uma parceria da ESP/CE, Secretaria da Saúde do Ceará (SESA) e Secretaria da Cultura do Ceará (Secult).

 

 

Durante o encontro, a equipe do PRR socializou alguns dos casos acompanhados durante os cinco primeiros meses de atividades deste ano. O grupo, que iniciou os trabalhos em abril, conta com uma equipe multiprofissional de oito integrantes, entre residentes e preceptores que orientam as atividades dos profissionais em campo.
 
 
 

 

 

De acordo com Rafael Rolim, tutor da RIS-ESP/CE e coordenador do projeto, o que tem se verificado é a grande dificuldade de reinserção social de todas as pessoas em situação de rua que se encontram em áreas da cidade como a Praça do Ferreira. Ele explica que a equipe da PRR tem, nesse sentido, o importante papel de fazer a ponte entre essas pessoas que precisam de apoio clínico assistencial e as redes de atenção do estado.

 

 

“A gente apresenta a rede. Não fazemos um trabalho assistencialista. Mas sim de empoderamento dessas pessoas para que eles possam, a partir dai, se implicar no seu processo de socialização, de retorno ao trabalho e ao convívio familiar, se assim ele desejar”, afirma Rafael, que enfatiza a relevância do caráter interprofissional do programa, uma vez que a equipe do PRR conta com profissionais da área da enfermagem, da psicologia e do serviço social.

 

 

O tutor explica que na esfera da psicologia, por exemplo, os profissionais da equipe procuram trabalhar as subjetividades dessas pessoas que se encontram nas ruas entendo-os como um sujeito bio psicossocial. “Fazemos um trabalho de escuta qualificada para a compreensão dos problemas que geram toda vulnerabilidade psicológica que leva o indivíduo à situação de rua”, enfatiza.

 

 

Já nas áreas do serviço social e da enfermagem, a equipe vem dando apoio aos grupos que se encontram na Praça do Ferreira, principalmente em relação a orientações para retirada de documentos pessoais, acesso a equipamentos de saúde para a realização de acompanhamentos e tratamento de possíveis enfermidades.

 

 

Desde agosto de 2016, o grupo de residentes tem trabalhado com as pessoas em situação de rua, levando inclusive espetáculos que refletem a saúde mental e a cidadania. Em 2017, a equipe do PRR seguirá se reunindo sempre às terças e quartas-feiras em turnos alternados entre manha, tarde e noite. 
 
 
 
 
 
Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP/CE
( Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. )
Twitter: @espce
Facebook: espce

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
ESP/CE encerra novas 6 turmas do Curso de Maternidade

Sex, 20 de abril de 2018 14:41

 

 

A Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), por meio da sua Diretoria de Educação Profissional em Saúde (Dieps), deu continuidade nesta semana a uma agenda encerramento das atividades das suas turmas do Curso de Aperfeiçoamento em Atenção à Saúde da Mulher no Ciclo Gravídico Puerperal e do Neonato (Maternidade).
 
 

 

Assim, a escola realizou nos últimos dias 18, 19 e 20 de abril, o encerramento das atividades das três turmas de Fortaleza. Os encontros reuniram um total de 73 alunos-profissionais entre técnicos e auxiliares de enfermagem do município.
 
 

 

O diretor da educação profissional em saúde, Caio Cavalcanti, falou para cada uma das turmas nesse momento de conclusão das atividades formativas. “Entendendo que vocês são profissionais que já estão na prática do serviço, o curso vem para trazer novos conhecimentos e sedimentar aqueles que vocês já apreenderam no sentido de realizar um trabalho que vise a melhoria da assistência às mães e das crianças que utilizam a Rede de Saúde”, disse.
 
 

 

Ao todo, a formação ofertada pela diretoria compreendeu 6 turmas que iniciaram os processos formativos no segundo semestre de 2017. No último mês de março, realizou-se o encerramento da turma de Itapipoca. No dia 13 de abril foi a vez da turma de Tianguá encerrar as atividades, seguida do município de Crateús, cuja aula de encerramento deu-se em 14 de abril último.No total, todos os seis municípios que receberam a formação contabilizam 167 alunos-profissionais.
 
 

 

De um modo geral, o curso foi muito bem recebido pelos profissionais em capacitação. Eles destacaram o trabalho pedagógico da supervisora Camila Vasconcelos e das facilitadoras Ruanna Lorna, Ítala Nascimento, Clarissa Alves e Alice Cunha, que acompanharam as turmas realizadas naqueles municípios.  “Quero parabenizar cada um de vocês. E reforçar que estamos aqui juntos nesse processo que, na verdade, é de ensino e aprendizado”, destacou Camila.
 
 

 

 

O curso é organizado com base nos pressupostos da pedagogia de problematização, e faz parte das ações do Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Infantil no Nordeste e na Amazônia Legal. A formação objetiva capacitar ou aperfeiçoar auxiliares e técnicos de Enfermagem que atuam nas maternidades do Ceará.
 
 

 

Finalizados os cursos, os profissionais agora voltam aos seus cenários de prática para dar segmento às suas atividades e aplicar os conhecimentos adquiridos nos últimos seis meses de capacitação em seus respectivos campos de atuação. 
 
 
 
 
 

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP/CE
Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.
Facebook: /espce
Instagram: @espceara      

 

 

 
Divulgado o gabarito da prova escrita da Especialização em Medicina de Emergência

Seg, 06 de Janeiro de 2012 10h28

 

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) e a Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP-CE) divulgam o gabarito da prova escrita, realizada no último dia 5, para ingresso na Especialização em Medicina de Emergência (molde residência). Para o complexo de emergência em Fortaleza, foram ofertadas seis vagas no programa Medicina de Emergência E1 e seis para a Medicina de Emergência E4. Para a Santa Casa de Misericórdia de Sobral foram oferecidas quatro vagas no programa Medicina de Emergência E1. Os recursos poderão ser feitos nos dias 6 e 7 de fevereiro. O resultado final será divulgado oficialmente no dia 13 de fevereiro no site da ESP-CE.

Os médicos que concorreram às vagas para a Especialização em Medicina de Emergência E1 fizeram uma prova com 50 quesitos do tipo múltipla escolha, envolvendo conhecimentos de Medicina Social e Preventiva (10), Clínica Médica (10), Cirurgia (10), Pediatria (10) e Ginecologia e Obstetrícia (10). Já para os que disputaram às vagas para a Especialização em Medicina de Emergência E4, foi aplicada uma prova escrita, com 50 quesitos do tipo múltipla escolha, versando sobre temas em emergências médicas.

A Especialização em Medicina de Emergência terá duração de três anos iniciais, com a possibilidade de mais um ano opcional. A carga horária será de 60 horas semanais. O treinamento será desenvolvido nos principais hospitais de Fortaleza, como o Instituto Dr. José Frota (IJF), Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital do Coração Messejana (HM), Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ), Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), Hospital de Saúde Mental de Messejana (HSMM), Hospital Albert Sabin (Hias) e estágios no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).


Mais informações na Coordenadoria de Residências em Saúde da ESP-CE: (85) 3101.1424.

 

 Para visualizar o edital você precisa ter o Adobe Acrobat Reader instalado.

 

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP-CE

 

 

 
Ceará começa a vacinar contra influenza na sexta-feira, 20

Sex, 20 de Abril de 2018 08:28

 

 

alt

 

O Ceará dá início à 20ª Campanha de Vacinação contra Influenza e os municípios estão autorizados a vacinar a população dos grupos prioritários a partir desta sexta-feira, 20 de abril. A campanha continua até o dia 1º de junho para imunizar 54,4 milhões de pessoas que fazem parte do grupo prioritário no Brasil. No Ceará, a meta de cobertura vacinal ultrapassa dois milhões de habitantes.
 

 

Em todo o Estado, devem se vacinar 2.286.637 de pessoas dos grupos prioritários: idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses aos menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem se vacinar.
 


QUEM DEVE SE VACINAR NO CEARÁ

Grupos prioritários

População alvo

Meta (90%)

Crianças de 6 meses a menos de 2 anos 189.173 170.256
Crianças de 2 a menos de 5 anos 383.098 344.788
Trabalhadores de Saúde 159.438 143.494
Gestantes 94.584 85.126
Puérperas (até 45 dias após o parto) 15.550 13.995
População Indígena 26.034 23.431
Idosos de 60 anos ou mais 924.727 832.254
Portadores de doenças crônicas e outros riscos clínicos 348.509 313.658
Adolescentes sob medidas socioeducativas 30.699 27.629
Funcionários do Sistema Prisional 3.417 3.075
Professores 111.408 100.267
TOTAL 2.286.637 2.057.973


Os grupos prioritários são escolhidos conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principais agentes os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. O Ministério da Saúde assegura que a vacinação está "100% garantida" para o público-alvo. Em caso de eventual saldo de vacinas, o Ministério da Saúde admite a possibilidade de estender a vacinação outros grupos populacionais.
 
 

Até o dia 20 de abril, 17,2 milhões de doses terão sido enviadas pelo Ministério da Saúde aos estados, representando 41% da entrega da campanha. Para o Ceará foram repassadas 29% das doses. No total, seis remessas de doses para o Estado foram programadas para envio até o dia 25 de maio. A Secretaria da Saúde do Ceará conclui na quinta-feira, 19, a distribuição da primeira remessa da vacina para as Coordenadorias Regionais de Saúde, que enviam para os municípios. A campanha de vacinação envolverá em todo o Ceará 30 mil profissionais em 2.388 postos fixos, 1.100 postos volantes, 1.100 veículos terrestres. A vacina estará disponível para o público prioritário nas unidades de saúde com sala de vacina, instituições de idosos, hospitais, postos volantes e domicílios. O Dia "D” de Mobilização Nacional acontecerá no sábado, 12 de maio.



COBERTURAS VACINAIS DA CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA INFLUENZA NO CEARÁ

Ano População alvo

Doses aplicadas

Meta de CV

CV (%)
2013 1.373.904 1.202.847 80% 88%
2014 1.769.165 1.490.794 80% 84%
2015 1.762.872 1.449.005 80% 82%
2016 1.776.416 1.625.363 80% 92%
2017 1.891.257 1.692.701 80% 90%


A influenza é causada por uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global. Uma pessoa pode contraí-la várias vezes ao longo da vida e, em geral, tem evolução autolimitada. Porém, em alguns casos, pode evoluir para uma forma grave. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto à boca, olhos e nariz. Se não tratada a tempo, a influenza pode evoluir para pneumonia ou outras complicações, principalmente nas pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de cinco anos, gestantes e doentes crônicos.
 


A vacina é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença, porém, existem outras medidas importantes que ajudam na prevenção:
 - Lavar e higienizar as mãos com frequência.
 - Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talher, copo e garrafa.
 - Evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca.
 - Ter boa alimentação e beber bastante líquido.
 - Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas da gripe.
  - Manter a sua casa bem arejada.





Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
www.facebook.com/SaudeCeara

 

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP/CE
Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.
Facebook: /espce
Instagram: @espceara    

 

 
Ceará tem oito casos confirmados de influenza

Qui, 19 de Abril de 2018 10:59

 

 

alt

 

O Ceará tem oito casos confirmados de influenza em 2018, até a semana epidemiológica 15, encerrada em 14 de abril. São sete casos confirmados de influenza A H1N1 e um de influenza B. Três casos evoluíram para óbito, todos de influenza A H1N1. Os números constam da Nota Técnica divulgada pela Secretaria da Saúde do Ceará, com base nos dados de dois sistemas de informações do Ministério da Saúde – Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe) e Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN Influenza Web). A Nota Técnica informa a ocorrência dos casos de Síndrome Gripal (SG) e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza e orienta quanto à importância da notificação de casos para que sejam implementadas medidas de prevenção e controle, a fim de reduzir formas graves e óbitos pela doença.
 

 

A influenza é causada por uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global. Uma pessoa pode contraí-la várias vezes ao longo da vida e, em geral, tem evolução autolimitada. Porém, em alguns casos, pode evoluir para uma forma grave. Os vírus influenza são transmitidos facilmente por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O tipo C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública, não estando relacionada com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias.
 

 

São considerados condições e fatores de risco para a forma grave da doença mulheres grávidas em qualquer idade gestacional, puérperas até duas semanas após o parto (incluindo as que tiveram aborto ou perda fetal); idosos a partir de 60 anos, crianças menores de 2 anos, população indígena aldeada, menores de 19 anos de idade em uso prolongado de ácido acetilsalicílico, pessoas com pneumopatias (incluindo asma), cardiovasculopatias (excluindo hipertensão arterial sistêmica), nefropatias, hepatopatias, doenças hematológicas (incluindo anemia falciforme), imunossupressão associada a medicamentos, neoplasias, HIV/Aids e obesidade.
 

 

Além dos cuidados individuais para evitar a síndrome gripal, a vacinação uma das medidas mais efetivas para a prevenção da influenza grave e de suas complicações. Desta maneira, com o propósito de reduzir internações, complicações e mortes, em 1999, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) incorporou a estratégia de vacinação contra a influenza para a população brasileira. Em 2018, a 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza acontecerá de 23 de abril a 1º de junho em todo o país.
 
 


alt


A Nota Técnica da Secretaria da Saúde mostra que, no Ceará, em 2017, foram notificados 286 casos suspeitos de SRAG. Destes, 36 foram confirmados para influenza e cinco evoluíram para óbito. Este ano, até 14 de abril, foram notificados 75 casos de SRAG, sendo oito casos confirmados para influenza. A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância sentinela de Síndrome Gripal (SG), de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e pela vigilância universal de SRAG.

 

A vigilância sentinela conta com uma rede de unidades distribuídas em todas as regiões geográficas do país e tem como objetivo principal identificar os vírus respiratórios circulantes, além de permitir o monitoramento da demanda de atendimento por essa doença. A vigilância universal de SRAG monitora os casos hospitalizados e óbitos com o objetivo de identificar o comportamento da influenza no país para orientar na tomada de decisão em situações que requeiram novos posicionamentos do Ministério da Saúde e Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais. Os dados são coletados por meio de formulários padronizados e inseridos nos sistemas de informação online: SIVEP-Gripe e SINAN Influenza Web.
 


alt

 

 

Assessoria de Comunicação da Sesa
Cristiane Bonfim/ Marcus Sá / Helga Rackel (85) 3101.5221 / 3101.5220
www.facebook.com/SaudeCeara 

 

Assessoria de Comunicação e Marketing da ESP/CE
Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.
Facebook: /espce
Instagram: @espceara      

     
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 76

Serviços

Agenda - Abril 2018

Do Se Te Qu Qu Se Sa
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 1 2 3 4 5

Escola de Saúde Pública do Ceará - Av. Antonio Justa, 3161 - Meireles, Fortaleza-CE - Cep 60165-090

Fone: (85) 3101.1398 - Fax (85) 3101.1423 - E-mail: esp@esp.ce.gov.br - Twitter: twitter.com/espce

Horário de Funcionamento: Segunda-Feira a Sexta-Feira, das 08h00 às 12h00 e 13h00 às 17h00

© 2018 - Governo do Estado do Ceará. Todos os Direitos Reservados - Ver localização no mapa